Início

A China criou um "sol artificial" cinco vezes mais quente que o Sol

O reator EAST, que emula o funcionamento de uma estrela, poderá resultar em uma nova era de energia limpa ilimitada
Por History Channel Brasil em 06 de Janeiro de 2022 às 18:05
A China criou um "sol artificial" cinco vezes mais quente que o Sol-0

A China conquistou um avanço inédito no campo da energia nuclear, com o desenvolvimento de um reator de fusão que supera a temperatura do Sol. O sucesso dos testes realizados com o EAST, como foi batizado o equipamento chinês, estabelece um marco na corrida científica para alcançar fontes sustentáveis de energia.

Fusão nuclear

Esse "sol artificial" foi projetado para acionar um processo de fusão nuclear, emulando a fonte da energia solar. O Sol é um reator natural de fusão no qual a nucleossíntese estelar transforma elementos mais leves em elementos mais pesados com a liberação de enormes quantidades de energia.

Reator East na China

Ainda que não existam tecnologias que permitam emular as condições do Sol, é possível gerar a fusão por meio de temperaturas extremas, como acontece com o reator chinês EAST, que consegue alcançar os 100 milhões de graus Celsius, uma temperatura ideal. A temperatura alcançada pelo reator chinês foi cinco vezes superior a gerada pelo Sol. Mesmo não tendo conseguido sustentar esse nível por mais de dez segundos, isso está longe de ser uma má notícia, pois trata-se de um feito sem precedentes.

No momento, o EAST é um protótipo de ensaios em pequeníssima escala se comparado com os gigantescos reatores nucleares de aplicação industrial. E é disso que se trata precisamente: de um experimento para sustentar as bases de novas tecnologias de fusão nuclear em escala mundial.  Se o equipamento provar sua eficiência, isso poderá resultar em uma nova era de energia limpa ilimitada, de acordo com os pesquisadores. 

Fontes
Live Science
Imagens
iStock e Institute of Plasma Physics/Reprodução