Início

Exemplar de onça-parda volta a ser visto no Rio de Janeiro após 80 anos

Animal foi flagrado por câmeras de segurança de um sítio na capital fluminense
Por History Channel Brasil em 25 de Outubro de 2021 às 14:57
Exemplar de onça-parda volta a ser visto no Rio de Janeiro após 80 anos-0

Um animal que chegou a ser considerado extinto voltou a aparecer na cidade do Rio de Janeiro. Após 80 anos, um exemplar de onça-parda  (Puma concolor) foi avistado no bairro de Guaratiba, na zona oeste da capital fluminense. A descoberta foi abordada em um artigo científico publicado na revista Check List.

Onça-parda no Rio de Janeiro

A onça-parda  (também conhecida como suçuarana, leão da montanha e leão-baio) foi flagrada por câmeras de segurança do Sítio Burle Marx durante uma madrugada.  Já havia registro desses animais em outras partes do Grande Rio, como em Magé, Tinguá e Itaboraí, mas desde a década de 1930 eles não eram vistos na cidade do Rio de Janeiro. Uma das possibilidades é que eles podem ter partido das bordas da região metropolitana para retornar aos resquícios de Mata Atlântica na capital.

"Se ele sobrevive no Rio, pode ser indício não só da adaptação dele a áreas periurbanas e urbanas, mas também de que tem lugar para ele se refugiar. Isso vai ter que fazer com que os órgãos públicos pensem em políticas para a fauna", afirmou Jorge Pontes, biólogo e professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e um dos responsáveis pelo artigo. Ele destaca que o próximo passo para entender melhor o retorno das onças ao Rio é um estudo para localizá-las e monitorá-las, porque os dados reunidos até agora não permitem concluir qual é o tamanho da população dos felinos na cidade.

As onças-pardas são animais solitários, que só andam em pares na época do acasalamento. Pontes explica que esses animais não costumam atacar seres humanos e são curiosos. "Quando ela encontra alguém, geralmente é por acidente. O melhor é você ficar onde você está e deixar que ela siga o caminho dela. Esses encontros são muito rápidos. Ela dá de cara e foge", disse o biólogo.

Fontes
Agência Brasil
Imagens
Cenap/ICMBio/Divulgação