Início

Inseto com biologia "quase completamente desconhecida" é descoberto na África

Ele apresenta brilho metálico e tem órgãos reprodutores masculinos em formato de folha 
Por History Channel Brasil em 27 de Janeiro de 2022 às 22:26
Inseto com biologia "quase completamente desconhecida" é descoberto na África-0

Ao fazer estudos de campo em uma floresta da Uganda, o pesquisador britânico Alvin Helden nunca poderia imaginar que descobriria uma nova espécie que pertence a um grupo raríssimo de insetos. Trata-se de um tipo de cigarrinha que recebeu o nome científico de Phlogis kibalensis. Para se ter uma ideia, seu parente mais próximo foi visto pela última vez em 1969, na República Central Africana.

Biologia única

Esses insetos são parentes próximos das cigarras, mas muito menores. O macho da espécie recém-descoberta mede apenas 6,5 mm de comprimento. Segundo os pesquisadores, o Phlogis kibalensis apresenta um brilho metálico distinto e órgãos reprodutores masculinos em formato de folha. 

Alvin Helden fazendo pesquisa de campo no Parque Nacional Kibale
Alvin Helden fazendo pesquisa de campo no Parque Nacional Kibale

"As cigarrinhas deste gênero têm aparência muito incomum e raramente são encontradas", afirmou Helden, que é pesquisador da Universidade Anglia Ruskin, na Inglaterra. "Na verdade, são tão incrivelmente raras que sua biologia permanece quase completamente desconhecida, e não sabemos quase nada sobre o Phlogis kibalensis, a nova espécie", completou. A descoberta foi feita durante trabalhos no Parque Nacional Kibale, no oeste de Uganda.

Helden celebrou muito a descoberta. "Encontrar esta nova espécie é uma conquista única na vida, principalmente porque seu parente mais próximo foi encontrado pela última vez em um país diferente há mais de 50 anos. Eu sabia que era algo muito especial assim que o vi", disse. Mas o pesquisador alerta que o desmatamento das florestas ameaça espécies conhecidas e desconhecidas.

"Ainda há muito para descobrir, não apenas sobre esta espécie, mas sobre muitas outras, incluindo as muitas espécies que ainda estão esperando para serem descobertas. É incrivelmente triste pensar que algumas espécies serão extintas antes mesmo de sabermos sua existência", lamentou.

Fontes
Universidade Anglia Ruskin, via Phys.org
Imagens
Dr. Alvin Helden/Universidade Anglia Ruskin/Divulgação e Universidade Anglia Ruskin/Divulgação