Início

Conheça o local onde Carlota Joaquina morava longe do marido, D. João VI

Palacete em Botafogo era o refúgio da Rainha Consorte do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves
Autor
Thiago Gomide, do Tá Na História

Conheça o local onde Carlota Joaquina morava longe do marido, D. João VI - 1

Carlota Joaquina é uma das personagens mais polêmicas da história de Portugal, da Espanha e do Brasil. Poucos, com certeza, conseguem tal façanha. 

Primeira filha de Carlos VI, o herdeiro do trono Espanhol, e da francesa Maria de Bourbon, que era uma megera, Carlota foi criada com sofisticação, com o melhor que havia. Educação de primeira. Parecia estar sendo preparada pra assumir o trono. 

Desde criança, a menina mostrava ser super brava, inflexível, ficava revoltada quando não obedeciam, quando não saia da maneira que ela achava certo e, como diriam os mais antigos, Carlota era  inquieta, arteira e exibida. 

Essas características acompanhariam até o fim de vida. 

Aos 10 anos, ela teve que pagar um acordo. Um acordo feito pelo avô, Carlos III. Foi à Lisboa casar com João, filho da rainha Dona Maria, a Louca, futuro rei de Portugal. Dona Maria acaba cuidando da menina. Era uma criança. 

Casamento cheio de contratos e que não daria muito certo. 

Em 1808, fugindo de Napoleão Bonaparte, a família real vai parar no Rio de Janeiro. 

Carlota não queria vir. Estamos no finalzinho de 1807. Ela pediu para os pais aceitarem de volta na Espanha. Não teve jeito.  

Depois ela foi saber que o pai dela tinha fechado com a França um negócio ótimo: deixava a tropa napoleônica passar, invadir Portugal e depois eles fariam um bem bolado. Um pega uma parte. Outro pega outra. E segue o barco.  

No Rio de Janeiro, Carlota Joaquina morou em Botafogo. E, apertando o play, você vai conhecer os detalhes do Palacete dela e o lugar exato.


THIAGO GOMIDE é historiador e jornalista. Pós-graduado em História do Brasil e Mestre em História, Bens Culturais e Política pela FGV. Foi apresentador e editor do Canal Futura e diretor da MultiRio, ambos dedicados à educação. Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente assina a coluna "Coisas do Rio", no jornal O Dia, e é presidente da rádio Roquette-Pinto.

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade. 


Imagem: Acervo MASP, via Wikimedia Commons