Início

Escravos na Amazônia: a dura realidade dos seringueiros

Por Thiago Gomide do Tá na História.

Parceria HISTORY e Tá Na História

Se coloque no lugar de quem está em uma seca, com dificuldade de se alimentar, com poucos recursos, com os filhos passando necessidade...

De repente alguém chega para você e diz que existe um eldorado. Um lugar mágico que está dando muito dinheiro. Que tem água abundante. Que você vai ser muito feliz. 

Não custa relembrar que, na época, não existia internet ou histórias de quem foi. Você iria ou não iria embarcar nessa? 

A viagem até a tal felicidade duraria meses. A pé, de charrete, de vapor. Você e milhares de pessoas vão sair do Nordeste e vão para o Acre, uma terra desconhecida, que nem brasileira era. Nós estamos em 1880, 1890, 1900. Seu trabalho? Virar seringueiro. 

O látex custava uma fortuna. Muita grana rolando. Muita gente ficando rica. Quando você chega para trabalhar, o jogo não é bem aquele acreditado. Você não é um simples trabalhador. Foi vendida uma ilusão. Você se torna uma pessoa com trabalho análogo à escravidão.  

Quer continuar acompanhando a saga dos seringueiros? Quer entender parte do Ciclo da Borracha? Quer saber da relação violenta entre donos de seringais e seringueiros? Aperta o Play!


THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade. 


Imagem: Barboza Leite. via Fundação Cultural do Estado do Pará