Início

Esporte do futuro poderá ser algo como Quadribol, do Harry Potter, e Dragon Ball

Você já pensou como seria perseguir o Pomo de Ouro em um cabo de vassoura, como o Harry Potter, no jogo de Quadribol? E como seria aplicar um golpe devastador do personagem Goku como no mangá Dragon Ball? Nosso mundo e o de fantasia podem finalmente se encontrar segundo o grupo japonês Superhuman Sports Society, ou simplesmente S3. Trata-se de uma organização formada por pesquisadores, designers, artistas e especialistas de diversas áreas, reunidos com o objetivo de desenvolver esportes novos, com forte uso de tecnologia. No leque de opções para tornar isso real estão dispositivos robóticos (que podem ser vestidos) e realidade virtual para liberar os humanos das restrições físicas e terrenas. Isso tudo faria parte da chamada tecnologia humana aumentada.

O grupo planeja realizar o primeiro festival de esportes supra-humanos em outubro, em Tóquio. O evento servirá de aperitivo para um campeonato mundial do tipo em 2020, coincidindo com a realização dos Jogos Olímpicos na capital japonesa. Durante o evento, os investigadores explicarão como as novas tecnologias podem ampliar as capacidades físicas dos atletas, a ponto de criar novos esportes. O diretor executivo da S3, Kota MInamizawa, confirmou que já está sendo desenvolvida uma tecnologia de realidade virtual para criar técnicas de jogos como Dragon Ball, além de outros esportes curiosos, como o de uma bola que possui uma mente própria e se move de forma autônoma.

Em relação ao quadribol, de Harry Potter, há ainda certas dificuldades no momento:

"Ainda é difícil fazer os seres humanos flutuarem, mas nós temos uma tecnologia chamada de tele-existência", disse MInamizawa.

A tele-existência é um nome dado à envolvente visão de uma câmera, montada sobre um robô e de estimulação tátil a partir de sensores. A implementação do sistema em um drone dá ao operador uma sensação de vôo, e precisa apenas da introdução de uma bola voando para tornar possível o Quadribol, imagina Minamizawa. Além de tentar oferecer uma experiência "fora do corpo" e uma sensação sobre-humana, a S3 sonha em fazer o esporte uma prática universal. "Nós queremos que todos possam desfrutar da prática de esportes, independentemente da idade, deficiência ou talento", disse Minamizawa.

Fontes:Japan TimesRT

Crédito da Imagem: Sergey Nivens / Shutterstock.com