Início

Esqueletos romanos com crânio entre as pernas surpreendem pesquisadores na Inglaterra

Arqueólogos acreditam que a decapitação estava relacionada a um costume funerário peculiar
Por History Channel Brasil em 07 de Fevereiro de 2022 às 21:31 HS
Esqueletos romanos com crânio entre as pernas surpreendem pesquisadores na Inglaterra -0

Arqueólogos encontraram os restos de uma cidade da época do Império Romano durante escavações na vila de Fleet Marston, na Inglaterra. No local, em um cemitério milenar, os pesquisadores encontraram 425 esqueletos, sendo que cerca de 40 deles estavam decapitados. O mais surpreendente é que alguns foram enterrados com o próprio crânio entre as pernas.

Grã-Bretanha Romana

Mas qual teria sido a motivação dessa prática macabra? Segundo os pesquisadores, possivelmente os esqueletos pertenciam a criminosos. Tratava-se de um costume funerário normal, porém marginal durante o período romano tardio. 

Esqueleto com o crânio entre as pernas

A descoberta foi feita durante escavações preliminares em uma área por onde passará uma nova ferrovia. A cidade do período romano que havia no local ficava às margens de uma grande rodovia. Na região, a equipe encontrou ruínas de estruturas domésticas e comerciais, além de mais de 1200 moedas e outros artefatos, como louças, talheres e até mesmo um dado. 

Dado encontrado em ruínas do Império Romano

"O grande cemitério romano em Fleet Marston nos permitirá obter uma visão detalhada dos moradores de Fleet Marston e do cenário mais amplo da Grã-Bretanha romana", afirmou Helen Wass, chefe de patrimônio da HS2, empresa responsável pela ferrovia. “Todos os restos humanos descobertos serão tratados com dignidade, cuidado e respeito e nossas descobertas serão compartilhadas com a comunidade", completou.

O Império Romano ocupou uma parte da Grã-Bretanha entre 43 d.C. e 410 d.C. Durante as escavações para a construção da nova ferrovia, já foram encontradas estátuas romanas e ruínas de outra cidade do período.

Fontes
The Guardian e High Speed Two (HS2)
Imagens
High Speed Two (HS2)/Divulgação