Hoje na história

26.Maio.1940

Começa a Batalha de Dunquerque, momento emblemático da Segunda Guerra Mundial

O dia 26 de maio de 1940 marcou o início da Batalha de Dunquerque, um dos momentos mais emblemáticos da Segunda Guerra Mundial. O conflito foi travado entre Aliados e nazistas na cidade de mesmo nome, na costa da França. Na ocasião, as forças britânicas conseguiram evacuar mais de 300 mil soldados que haviam sido encurralados pelos alemães.

A manobra impressionante, batizada de Operação Dynamo, envolveu centenas de embarcações militares e civis. A ação ficou conhecida como o “Milagre de Dunquerque” e serviu como ponto de virada para os Aliados. O resgate dos soldados inspirou os britânicos a não abandonarem a luta.

Diversas ações antecederam a lendária operação. A Batalha da França havia começado em 11 de Maio de 1940. As divisões alemãs blindadas avançaram rapidamente através da região das Ardenas movendo-se para norte. A leste as forças de infantaria alemãs invadiram e conquistaram os Países Baixos e avançaram rapidamente através da Bélgica, ficando divididas as forças combinadas britânicas, francesas e belgas. 

As forças alemãs moveram-se então para norte para capturar Calais, cercando um grande número de soldados aliados contra a costa na fronteira franco-belga. Em 19 de maio, o general John Gort, comandante da Força Expedicionária Britânica (BEF), começou a avaliar a possibilidade de evacuar toda a sua força pelo mar, a fim de salvá-los de uma aniquilação certeira pelas tropas nazistas que se aproximavam.

Churchill e a “ajuda” de Hitler

Enquanto isso, em Londres, o primeiro-ministro britânico Neville Chamberlain havia renunciado, abrindo caminho para um novo governo de coalizão liderado por Winston Churchill. No início, o comando britânico se opunha à evacuação e as forças francesas queriam resistir também.

Mas com a Força Expedicionária Britânica e seus aliados recuando no porto francês de Dunquerque, localizado às margens do Mar do Norte, a apenas 10 km da fronteira com a Bélgica, Churchill logo se convenceu de que a evacuação era a única opção. Ao planejar essa operação arriscada, os Aliados receberam a ajuda de uma fonte surpreendente: Adolf Hitler, que em 24 de maio deu a ordem de deter o avanço das divisões panzer alemãs contra Dunquerque.

A decisão de Hitler foi atribuída às preocupações de seus generais sobre um possível contra-ataque aliado, bem como à insistência do comandante da Luftwaffe Hermann Goering de que suas forças aéreas poderiam impedir qualquer tentativa de evacuação em Dunquerque. Hitler deu aos tanques o sinal verde novamente em 26 de maio, mas a essa altura os Aliados haviam ganhado tempo crucial para colocar seus preparativos em andamento.

A evacuação

Na noite de 26 de maio, os britânicos começaram a evacuação de Dunquerque, usando o codinome Operação Dynamo. O vice-almirante Bertram Ramsay comandou os esforços, liderando uma equipe que trabalhava em uma sala nos penhascos de Dover. Os incansáveis atentados a bomba da Luftwaffe no porto desaceleraram o processo de evacuação.

Como Dunquerque tinha uma praia muito rasa, navios da Marinha Real não conseguiam alcançá-la. Por isso os Aliados requisitaram navios menores para transportar tropas da costa para os navios maiores que estavam no Mar do Norte. Entre 800 e 1200 barcos, muitos deles embarcações de lazer ou pesca, acabaram ajudando na evacuação.

Alguns foram convocados pela Marinha e tripulados por militares, enquanto outros foram pilotados por seus proprietários e tripulantes civis. Os primeiros membros dessa pequena armada começaram a chegar às praias de Dunquerque na manhã de 28 de maio, ajudando a acelerar a evacuação.

Expectativas superadas

No início, Churchill e o resto do comando britânico esperavam que a evacuação de Dunquerque pudesse resgatar no máximo apenas 45 mil homens. Mas o sucesso da Operação Dynamo superou todas as expectativas. Em 29 de maio, mais de 47 mil soldados britânicos foram resgatados; Outros 53 mil, incluindo as primeiras tropas francesas, foram salvos em 30 de maio.

Quando as evacuações terminaram, cerca de 198 mil soldados britânicos e 140 mil franceses conseguiram sair das praias de Dunquerque - um total de cerca de 338 mil homens. Outras 90 mil forças aliadas foram deixadas para trás, juntamente com a maior parte dos canhões e tanques pesados ​​do BEF, quando a resistência terminou na manhã de 4 de junho e as tropas alemãs ocuparam Dunquerque.


Imagem: Collection Database of the Australian War Memorial, via Wikimedia Commons