Início

Gandhi faz greve de fome em protesto contra separação de castas na Índia

Gandhi faz greve de fome em protesto contra separação de castas na Índia-0
Neste dia, em 1932, Mohandas Karamchand Gandhi iniciava uma greve de fome em protesto contra a decisão do governo britânico de separar o sistema eleitoral da Índia por castas. Ele anunciou sua decisão enquanto estava na prisão Yerovda, perto de Bombaim. 
 
Líder na campanha para que a Índia adotasse suas próprias regras, Gandhi lutou durante toda a sua vida para difundir a resistência passiva em toda a Índia e no mundo. Em 1920, o seu conceito de Satyagraha (ou "insistência na verdade"), tornou Gandhi uma figura extremamente influente para milhões de seguidores. Preso pelo governo britânico entre 1922 e 1924, ele se retirou da ação política por algum tempo durante os anos 1920, mas retornou em 1930 com uma nova campanha de desobediência civil. Esta foi levado à prisão novamente, mas apenas por pouco tempo, já que os ingleses fizeram concessões às suas demandas, convidando-o para representar o Partido do Congresso Nacional Indiano em uma conferência em Londres.
 
Após o seu regresso à Índia, em janeiro de 1932, Gandhi deu início a mais uma campanha de desobediência civil, para a qual foi preso mais uma vez. Oito meses depois, ele anunciou que estava começando um "jejum até a morte" para protestar contra o apoio britânico a uma nova constituição indiana, que concedia às classes mais baixas do país - conhecidos como "intocáveis" - a sua própria representação política por um período de 70 anos. Gandhi acreditava que isso iria, injustamente, dividir de forma permanente as classes sociais da Índia.
 
"Esta é uma oportunidade dada por Deus que veio para mim para oferecer a minha vida como sacrifício final para os oprimidos", disse Gandhi da prisão. Apesar de outras figuras públicas na Índia - incluindo o Dr. Bhimrao Ramji Ambdekar , o representante político oficial dos intocáveis -  questionarem o verdadeiro compromisso de Gandhi com as classes mais baixas, os seus seis dias de jejum terminaram depois que o governo britânico aceitou os principais termos de um acordo entre indianos da casta superior e os intocáveis, o que reverteu a decisão da separação.
 
A Índia passou a ser movimentar lentamente em direção à independência dos britânicos e, ao mesmo tempo, a influência de Gandhi só cresceu. Ele continuou a recorrer à greve de fome como forma de resistência, sabendo que o governo britânico não seria capaz de suportar a pressão pública deste tipo de protesto. Em 12 de janeiro de 1948, Gandhi realizou seu último e rápido jejum para persuadir hindus e muçulmanos a trabalharem em direção à paz. Em 30 de janeiro, menos de duas semanas depois de quebrar esse jejum, ele foi assassinado por um extremista hindu.

 

Imagem: [Public domain or Public domain],via Wikimedia Commons