Hoje na história

20.jun.2009

Neda Agha-Soltan: uma das mortes com mais testemunhas da história

No dia 20 de junho de 2009, durante as eleições no Irã, a morte da jovem Neda Agha-Soltan, de 27 anos, foi gravada em um vídeo, se difundiu de forma viral na internet e se transformou, provavelmente, em uma das mortes com mais testemunhas da história da humanidade. Por conta disso, ela também acabou virando um símbolo para os oposicionistas ao regime vigente no Irã. Em 2009, os protestos por conta das eleições no Irã tiveram início no dia 13 de junho, quando milhares de manifestantes em todo o mundo contestaram a vitória do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad e marcharam em favor dos candidatos de oposição, Mir-Hossein Mousavi e Mehdi Karroubi. A estudante de música, Agha-Soltan, não era uma ativista política, mas se sentiu atraída pelo movimento de contestação. No dia 20 de junho, ela estava presa no trânsito por causa das manifestações e, como era um dia quente, decidiu sair do carro para acompanhar, de certa distância, o que estava acontecendo na rua. Enquanto ela olhava, foi alvejada por um atirador membro da milícia Basij. Um anônimo gravou um vídeo momentos após Agha-Soltan ser atingida. O vídeo se espalhou na internet e logo chamou a atenção da imprensa internacional. Pouco depois, sua morte foi anunciada em um hospital em Teerã e Agha-Soltan foi enterrada no cemitério Behesht-e Zahra, no sul da cidade. Agha-Soltan e sua trágica morte se transformaram em um dos ícones de luta dos manifestantes iranianos.

 


Imagem:  [Domínio público], via Wikimedia Commons