Início

Sidney Poitier, primeiro negro a ganhar um Oscar de Melhor Ator, morre aos 94 anos

Artista se consagrou como um dos maiores nomes da história do cinema
Por History Channel Brasil em 07 de Janeiro de 2022 às 15:06 HS
Sidney Poitier, primeiro negro a ganhar um Oscar de Melhor Ator, morre aos 94 anos-0

O ator Sidney Poitier morreu em 7 de janeiro de 2022, aos 94 anos. A causa da morte ainda não foi confirmada. O artista se notabilizou por uma série de papéis importantes no cinema, tendo sido o primeiro negro a ser premiado com o Oscar de Melhor Ator, em 1964.

Poitier nasceu em 1927, quando seus pais, que moravam nas Bahamas, estavam visitando os Estados Unidos. Na adolescência, ele abandonou a escola e voltou para os EUA para se alistar no Exército durante a Segunda Guerra Mundial. Após seu período militar, ele se interessou por teatro e se inscreveu no American Negro Theatre, em Nova York. 

Rejeitado inicialmente por causa de seu forte sotaque, Poitier praticou até dominar o modo de falar dos EUA. Ele estreou na Broadway em 1946 e em 1950 atuou pela primeira vez no cinema. Recusando-se a interpretar papéis estereotipados, Poitier abriu portas para os artistas que o seguiram. 

No dia 13 de abril de 1964, Sidney Poitier se tornou o primeiro negro a ganhar o Oscar de Melhor Ator, pelo seu papel como um operário que ajuda a construir uma capela em "Uma Voz nas Sombras" (1963). Ao receber a estatueta das mãos da atriz Anne Bancroft, ele ganhou dela um beijo na bochecha, gesto que causou um certo escândalo entre o público mais conservador da época. 

Com sua histórica vitória no Oscar, Poitier tornou-se apenas o segundo afrodescendente a ganhar uma estatueta da Academia. A primeira pessoa negra a receber a premiação foi Hattie McDaniel, que venceu na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante em 1939 por "...E o Vento Levou". McDaniel interpretou Mammy, mulher escravizada que servia à protagonista Scarlett O'Hara.

No decorrer da década de 1960, Poitier estrelou uma série de filmes que abordavam as tensas relações raciais nos Estados Unidos. Entre eles, estão clássicos como “Ao Mestre com Carinho”, “Adivinhe Quem Vem Para Jantar” e “No Calor da Noite”, todos de 1967. A partir dos anos 1970, Poitier também dirigiu vários filmes, incluindo a comédia “Loucos de Dar Nó” (1980), estrelada por Richard Pryor e Gene Wilder, entre outras obras.

Depois de quase uma década longe da atuação, ele voltou à televisão e ao cinema, participando de “Atirando para Matar” (1988) e “Quebra de Sigilo” (1992). Em 2002, Poitier recebeu um Oscar honorário pelo conjunto da obra.

 

 

Imagem: Domínio Público, via Wikimedia Commons