PLANETA TERRA

5 mil toneladas de partículas extraterrestres caem na Terra todos os anos, diz estudo

A chuva de poeira espacial tem origem em fontes cósmicas diferentes.
Por: HISTORY Brasil

A Terra recebe constantemente uma verdadeira chuva de poeira espacial originária de cometas e asteroides. Até hoje, a quantidade exata desse material nunca havia sido estimada. Agora, após 20 anos de pesquisas, uma equipe de cientistas descobriu que nosso planeta recebe anualmente 5200 toneladas de partículas extraterrestres.

Poeira espacial

Segundo a pesquisa, essa poeira vem do espaço por meio de fontes cósmicas diferentes. Os pesquisadores explicam que 1, 6 mil toneladas de partículas extraterrestres são originárias de micrometeoritos, enquanto outras 3,6 mil toneladas chegam em forma de esférulas cósmicas (partículas microscópicas de rocha espacial que variam de tamanho e formato).  Cerca de 80% do material teria origem nos cometas do período de Júpiter (que apresentam órbitas curtas, influenciadas pela gravidade daquele planeta). Já os outros 20%, provavelmente vêm de asteroides.



O estudo, coordenado por Jean Duprat, do Centro Nacional para Pesquisa Científica da França, foi publicado na revista Earth & Planetary Science Letters. Para conseguir coletar e analisar os micrometeoritos durante os últimos 20 anos, foram necessárias seis expedições à Antártida, mais precisamente nas imediações da estação franco-italiana Concórdia, a cerca de mil quilômetros da costa da Terra Adélia, no centro do continente gelado.  O local é  propício para estudar a quantidade e a qualidade da poeira cósmica devido à baixa taxa de acúmulo de neve e também por praticamente não apresentar poeira terrestre. 

O estudo é importante para entender melhor o papel desempenhado por essas partículas de poeira interplanetária no fornecimento de água e moléculas carbonosas quando a Terra estava em formação. Algumas teorias sugerem que  moléculas originárias de rochas espaciais podem ter sido fundamentais para o desenvolvimento inicial da vida no nosso planeta.



VER MAIS:


Fontes: Live Science, Space.com, CNN e Centro Nacional para Pesquisa Científica da França

Imagens: Shutterstock.com e Cécile Engrand/Jean Duprat/Centro Nacional para Pesquisa Científica da França/Divulgação