NAZISMO

"Adolfinho": mulher de 20 anos é indiciada no Amapá por apologia ao nazismo

A Polícia Civil indiciou no Amapá uma mulher de 20 anos por fazer apologia ao nazismo. Ela é suspeita de administrar uma conta no Twitter que publicava símbolos nazistas e enaltecia Adolf Hitler. A identidade dela não foi divulgada.

Os policiais da 6ª Delegacia de Polícia de Macapá passaram a investigar o caso após receberem denúncias sobre o conteúdo do perfil, criado em 2018. O perfil postava símbolos nazistas, como a suástica, além de imagens de Adolf Hitler (chamado na página de "Adolfinho) e Eva Braun. Mesmo depois que a página foi excluída, foi possível chegar até sua autora por meio de informações fornecidas pelo Twitter. 

“O enaltecimento e a apologia ao nazismo devem ser coibidos por toda a sociedade e a Polícia Civil atuou no sentido de debelar o crime", disse Leandro Leite, delegado responsável pelo inquérito. Agora a Polícia Civil prosseguirá com as investigações para descobrir se o caso está vinculado a alguma rede ou grupo que coordena ações de apologia ao nazismo. Um levantamento recente apontou a existência de mais de 300 células neonazistas no Brasil.

Pela lei brasileira, apologia ao nazismo é crime. Nem é necessário haver atos de violência ou incitação direta à violência para que o delito ocorra. O código penal prevê pena de reclusão de dois a cinco anos para quem "fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo".


Fontes: UOL e G1

Imagem: Reprodução