SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Alemanha x EUA: as armas mais letais usadas por cada exército na Segunda Guerra

A Alemanha nazista entrou na Segunda Guerra Mundial com a invasão alemã à Polônia, em 1939, muito antes do exército dos Estados Unidos, que se juntou aos Aliados após o ataque japonês a Pearl Harbour, em 1941. O armamento utilizado por cada exército foi decisivo para o desfecho da guerra. Confira abaixo as principais armas utilizadas pelas tropas dos dois países durante o período.

Armamento dos soldados da Alemanha

A arma mais famosa do exército nazista foi o fuzil Kar 98 K (Mauser Karabiner 98 Kurz), considerado um dos mais precisos da época, ainda que seu lento recarregamento o fazia ser menos eficaz em enfrentamentos de curta distância contra metralhadoras. Muitos especialistas afirmam que foi o melhor fuzil da história.

Entra as armas alemãs, destacou-se também o fuzil semiautomático G43 (Gewehr 43), que permitia disparar sem a necessidade de acionar manualmente uma alavanca antes de cada disparo.

A submetralhadora MP 40 (Maschinenpistole 40) fazia parte do equipamento básico dos soldados alemães. Embora fosse capaz de disparar até 600 tiros por minuto, não tinha uma boa precisão e o interior do cano era frequentemente danificado pelas balas com ponta de chumbo.

O fuzil 4-STG 44 (Maschinenpistole 44) é considerado o precursor dos modernos fuzis de assalto, capaz de disparar tanto automaticamente como semiautomaticamente. Seu grande alcance e cadência o tornaram um dos melhores da época.

A metralhadora MG 34 (Maschinengewehr 34) foi revolucionária para a infantaria nazista, permitindo o uso manual ou com apoio e disparando entre 800 e mil tiros por minuto. No entanto, seu alto custo de fabricação forçou o projeto de uma nova metralhadora, a MG-42.

A metralhadora MG 42 (Maschinengewehr 42) foi um sucesso, atingindo entre 1.200 e 1.800 tiros por minuto. Ela foi descrita como uma parede de fogo ou terror dos aliados, embora sua capacidade de disparo causasse problemas devido ao superaquecimento.

Finalmente, a granada modelo 24 (Stielhandgranate Model 24) é hoje uma das mais reconhecidas da Segunda Guerra Mundial, embora já existisse desde a Primeira Guerra. Elas eram mais seguras do que as granadas americanas e podiam ser lançadas a distâncias maiores.

Armamento dos soldados dos EUA

O fuzil M1 Garand (Fuzil Semiautomático M1 de Calibre 30) foi uma das armas emblemáticas do Exército dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial. O General Patton disse que ela foi "a maior ferramenta de combate jamais desenhada".

A Carabina M1 representou uma arma leve, entre um fuzil de assalto e uma submetralhadora, especialmente elaborada para pára-quedistas, soldados com bazuca ou técnicos e engenheiros, de forma que possuíam uma arma mais potente que uma pistola, embora menor que um fuzil M1 Garand.

A submetralhadora Thompson, conhecida como Tommy, era bastante pesada e capaz de utilizar cartuchos com 20 a 30 balas calibre 45. Ela, portanto, foi pouco utilizada. 

O fuzil automático Browning (Browning Automatic Rifle), conhecido como BAR, foi concebido como uma arma de apoio às unidades de infantaria, e permitia ser disparado tanto do ombro como do quadril. Foi introduzido tardiamente no combate, participando apenas das instâncias finais do conflito. 

A metralhadora Browning M1919 (Machine Gun 30 H.B. M1919A4) se apoiava sobre um tripé e era capaz de disparar durante meia hora rajadas de 60 balas por minuto. Mesmo não alcançando o nível das metralhadoras nazistas, conquistou grandes resultados. 

A granada de fragmentação MKII foi a mais usada pelos soldados dos EUA. Seu formato característico de abacaxi lhe rendeu o apelido de mesmo nome. Ela se mostrou mais eficaz do que as granadas alemãs, alcançando um poder destrutivo de 360 graus.




Fonte: ABC 

Imagens: Armémuseum, Quickload, Iant333, Nemo5576, United States Army, Vida sopheap, Tronno, Quickload, Nikolaus von Nathusius, NotLessOrEqual, CrucifiedChrist, via Wikimedia Commons