NAZISMO

Aos 95 anos, ex-secretária de comandante nazista é acusada de ser cúmplice do Holocausto

Por: HISTORY Brasil

Uma idosa alemã de 95 anos está sendo acusada de ter sido cúmplice do Holocausto durante a Segunda Guerra Mundial. Ela foi secretária de um comandante nazista da SS que atuava no campo de concentração de Stutthof, na Polônia. Estima-se que 65 mil prisioneiros tenham sido mortos no local, incluindo 28 mil judeus.

Identificada apenas como  "Irmgard F.", a mulher vive em um lar para idosos em Pinneberg, próximo a Hamburgo. Ela é acusada de ter sido cúmplice em "mais de 10 mil casos" de homicídio. Um tribunal ainda irá decidir se ela irá a julgamento.



De acordo com a acusação, Irmgard “ajudou os responsáveis pelo campo no assassinato sistemático de prisioneiros judeus, membros da resistência polonesa e prisioneiros de guerra soviéticos, em sua função como estenógrafa e secretária do comandante do campo” entre junho de 1943 e abril de 1945. O comandante do campo, Paul Werner Hopp, foi sentenciado a nove anos de prisão em 1957.

Em sua defesa, a ex-secretária alega que nunca soube que as pessoas estavam sendo executadas em uma câmara de gás em Stutthof. Na época do Holocausto ela tinha menos de 21 anos, sendo considerada menor de idade pela legislação local. Portanto, o tribunal responsável pelo seu caso é exclusivo para menores. Poucas mulheres foram julgadas por crimes de guerra cometidos em campos de concentração nazistas.

Criado em 1939, o campo de Stutthof ficava localizado em uma região da Polônia que estava sob ocupação nazista. Câmaras de gás começaram a ser utilizadas para execuções no local a partir de junho de 1944. O campo foi libertado por tropas soviéticas em maio de 1945, quando o conflito se aproximava do fim.




Fonte: BBC

Imagem: Museu Stutthof/Reprodução