RELIGIÃO

Arqueólogo afirma ter encontrado o rosto de Deus, em Israel

Uma estatueta de argila em formato de cabeça encontrada em Israel está no centro de uma polêmica. O arqueólogo Yosef Garfinkel, chefe do Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica, acredita que a figura feita há cerca de três mil anos seja uma representação de Yahweh (Javé ou Jeová), o Deus bíblico do antigo Reino de Israel. A hipótese gerou a rejeição de vários colegas, que o acusam de "sensacionalista" e até descrevem sua teoria como "infundada" e "especulativa".

Se a teoria de Garfinkel estiver correta, o achado é extremamento raro. De acordo com a Bíblia Hebraica, os antigos israelenses eram proibidos de criar representações de Yahweh. Isso porque as escrituras relatam que Deus ordenou que "não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra" (Êxodo 20: 4). 

A figura de 5 centímetros de altura foi encontrada nas ruínas de um grande edifício que pode ter sido um palácio na localidade de Khirbet Qeiyafa. Garfinkel suspeita que a cabeça de argila fazia parte de uma estatueta maior que representava Yahweh cavalgando. Em um artigo publicado na revista Biblical Archaeology Review, ele sugere que a peça esteja relacionada a outras peças semelhantes descobertas anteriormente. 

Garfinkel argumenta que todas essas estatuetas foram encontradas em lugares reverenciados (como palácios e templos) porque são representações de Yahweh. O pesquisador acredita que a proibição de retratar Yahweh só aconteceu mais tarde, talvez por volta do século VIII a.C., embora o momento exato seja desconhecido. Por outro lado, os arqueólogos israelenses questionaram a teoria elaborada por Garfinkel com argumentos críticos à sua metodologia e à lógica de suas conclusões. "Ele se apressou em declarar que essas figuras pertencem ao Deus de Israel quando não há nada que indique claramente que são representações de um deus", disse Shua Kisilevitz, codiretor da escavação de Tel Motza.


 Fonte:  Live Science

Imagens: Clara Amit/Autoridade de Antiguidades de Israel/Reprodução e Biblical Archaeology Review/Reprodução