RIO DE JANEIRO

Arqueólogos encontram múmia que pode causar mudanças na história da civilização egípcia

Uma múmia de 5600 anos de idade, pertencente ao período pré-dinástico, foi encontrada recentemente no Egito. A descoberta ocorrida na localidade de Kom al Ahmar, considerada a capital histórica do Egito, poderia causar um reposicionamento na história da civilização egípcia, divulgou o jornal “Ahram”. O sarcófago foi encontrado de forma acidental, enquanto arqueólogos conduziam escavações em uma tumba, supostamente construída durante o reinado de Narmer, primeiro faraó do Antigo Egito e fundador da Primeira Dinastia em 3050 a.C. Entretanto, a surpresa ocorreu quando as análises do material encontrado revelaram que a tumba era 500 anos mais antiga. A múmia correspondia a um jovem rapaz de aproximadamente 18 anos e que, segundo fontes do Ministério de Antiguidades do Egito, poderia ter sido um governador do local. Entre os diversos objetos desenterrados, haviam pentes de marfim, ferramentas, facas, pontas de flecha, além de uma pequena estatueta de marfim com a figura de um homem barbado. Arqueólogos, historiadores e outros estudiosos concordam em dizer que esse foi um dos achados mais importantes dos últimos tempos. A esperança é que o estudo a longo prazo do material revele um pouco mais sobre um dos períodos mais intrigantes para a ciência, o Egito anterior aos faraós.        Fonte: Informe 21