ARQUEOLOGIA

Arqueólogos encontram oficina de lâmpadas a óleo de 1700 anos em Israel

Por: HISTORY Brasil

Arqueólogos encontraram uma milenar oficina de lâmpadas a óleo em Israel. Esses artefatos, também chamados de lamparinas, foram o principal meio de iluminação nos tempos antigos. Os pesquisadores acreditam que as peças eram produzidas no local há cerca de 1700 anos. 

A descoberta aconteceu na cidade de Beit Shemesh durante a escavação prévia de um terreno onde será construído um conjunto habitacional. No local, foram encontradas centenas de lamparinas de cerâmica, duas das quais traziam o símbolo judaico da menorá. Além disso, os pesquisadores também encontraram moldes de pedra para a produção das lâmpadas e estatuetas de terracota.



Segundo os pesquisadores, a descoberta também serviu para solucionar um mistério de 86 anos. Em 1934, o arqueólogo Dimitri Baramki havia descoberto em uma cisterna na mesma cidade uma grande quantidade de lamparinas semelhantes às encontradas agora. Os artefatos, datados do período romano tardio (séculos III e IV d.C), ficaram conhecidos como as "lâmpadas de Beit Nattif” devido ao nome da vila próxima onde elas foram localizadas. Mas após o mandato britânico em Israel, ninguém mais conseguiu localizar o sítio arqueológico, considerado perdido desde então.

Segundo os pesquisadores, a nova descoberta foi feita exatamente no mesmo local, redescoberto após oito décadas. Os membros da Autoridade de Antiguidades de Israel reconheceram o sítio arqueológico ao compará-lo com imagens das escavações feitas nos anos 1930. Os arqueólogos até mesmo encontraram utensílios deixados para trás pelo próprio Baramki.



“As estatuetas e as inscrições nas lâmpadas da região de Beit Nattif contam a história das colinas da Judeia no período após a Revolta de Barcoquebas (rebelião de judeus contra o Império Romano, em 132 d.C)”, disse Benyamin Storchan da Autoridade de Antiguidades de Israel. “Durante este período, o cristianismo também começou a surgir e algumas das lâmpadas de óleo de Beit Nattif são decoradas com peixes, um dos símbolos do cristianismo. A grande variedade de lamparinas e estatuetas prova, portanto, que a população local era formada por uma mistura de pagãos, cristãos e judeus”, completou.


Fonte: Times of Israel

Imagens: Yoli Schwartz/Autoridade de Antiguidades de Israel/Reprodução