URSS

Atlântida soviética: a incrível história das centenas de cidades inundadas por Stálin

Por: HISTORY Brasil

O governo de Josef Stálin implementou diversos megaprojetos socialistas na União Soviética. Por meio de planos ambiciosos, a URSS tentava demonstrar sua superioridade em relação aos países capitalistas. Entre as obras, estavam hidroelétricas, canais e represas de grande envergadura. Mas, para que essas construções saíssem do papel, centenas de cidades acabaram debaixo d'água.

Durante essa época,  a URSS quis se impor frente ao capitalismo em todos os detalhes. Diversos desses projetos ambiciosos foram postos em prática ao custo de muito sacrifício humano. Estima-se que centenas de cidades foram inundadas por ordem de Stálin, 200 delas apenas na região da Ucrânia.



A execução desses projetos resultou no deslocamento em massa de habitantes, além de ter causado danos severos aos ecossistemas do Leste Europeu. Em nome do progresso, foram inundados cerca de 5 mil quilômetros quadrados de terra, e mais de 660 povoados e aldeias ficaram totalmente debaixo d’água. Cerca de 130 mil pessoas precisaram encontrar outro local para viver e uma imensa quantidade de terras agrícolas e florestas ao longo do rio Volga foram destruídas.



Em alguns territórios que pertenciam à União Soviética ainda restam vestígios das cidades submersas. São torres de igrejas e topos de edificações mais altas que podem ser observados como mastros que se projetam acima das águas. O cenário desolador fez com que o conjunto dos povoados que terminaram embaixo d'água fosse apelidado de "Atlântida soviética". 


Fonte: BBC

Imagens: Wikimedia Commons