DOENÇAS

Chinês é infectado com mais de 700 larvas no cérebro após comer carne de porco crua

Um homem de 43 anos foi internado após perder a consciência e ter uma série de convulsões na China. A princípio, os médicos não conseguiram diagnosticá-lo, mas após um exame de ressonância magnética, eles tiveram uma surpresa. O paciente tinha centenas de larvas de tênia no cérebro. Além disso, os vermes também haviam se alojado em seus pulmões.

O paciente, identificado como Zhu Zhong-fa, foi diagnosticado com cisticercose e neurocisticercose, a mais grave forma de infecção pelas larvas de tênia.  Um mês antes, ele havia consumido carne de porco mal preparada, o que provocou o problema. De acordo com os médicos, o alimento estava contaminado com ovos de Taenia solium.

Zhu Zhong-fa foi tratado com medicamentos antiparasitários e após uma semana aparentava melhoras. Mas os médicos ainda não sabem quais os efeitos a infecção pode provocar nele a longo prazo.

A cisticercose pode ser causada tanto pela Taenia solium ou pela Taenia saginata, também conhecida como "solitária". Depois de ingeridos, os ovos de tênia chegam ao estômago e liberam o embrião que atravessa a mucosa gástrica, vai para a corrente sanguínea e se distribui pelo corpo, podendo alcançar diversos tecidos (músculos, coração, olhos e cérebro), onde irá se desenvolver o cisticerco (larva).

Estima-se que cerca de 50 milhões de pessoas são infectadas com neurocisticercose nos países em desenvolvimento. A doença é considerada endêmica principalmente na América Latina, América Central, Ásia e África. A ausência de saneamento básico e falta de higiene contribuem para a sua proliferação, mas a doença não é exclusiva da área rural, afetando também moradores de área urbanas que entram em contato com alimentos contaminados. A única medida eficaz contra a contaminação por tênias é a prevenção. Para isso é importante:

• Não ingerir carne crua ou insuficientemente cozida, ou ainda, proveniente de abate clandestino, sem inspeção oficial.

• Consumir apenas água tratada, fervida ou de fonte segura.

• Lavar bem as mãos, principalmente após usar o banheiro e antes das refeições.

• Lavar bem os alimentos como verduras, frutas e hortaliças com água limpa.

• Irrigar hortas e pastagens com água limpa e não adubar com fezes humanas. 

• Construir sanitários com fossa séptica.

• Realizar o tratamento dos efluentes de esgotos de forma adequada para que estes não contaminem o solo, a água e os alimentos.

Imagem: United States Department of Health and Human Services, via Wikimedia Commons


Fontes: Newsweek, NY Post e dive.sc.gov.br

Imagem ilustrativa: Sumeth anu/Shutterstock.com