meio ambiente

Descobertas 1,8 bilhão de árvores em desertos africanos com o uso de inteligência artificial

Um novo estudo indica que os desertos africanos do Saara e Sahel não são tão inóspitos quanto se imaginava. Os pesquisadores identificaram a presença de nada menos do que 1,8 bilhão de árvores na região. A descoberta foi feita usando uma combinação de inteligência artificial e imagens de satélites.

O estudo teve a participação de cientistas da NASA e de outras instituições internacionais. Usando poderosos supercomputadores e algoritmos de machine learning, a equipe mapeou a presença de mais de 1,8 bilhão de árvores em uma área de cerca de 1.300.000 quilômetros quadrados. Para isso, foi usado um algoritmo de computação chamado rede neural totalmente convolucional (ou "Deep Learning") em um dos supercomputadores mais rápidos do mundo, o Blue Waters, da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos.

A equipe treinou o algoritmo para que ele identificasse árvores em diversos tipos de terreno, permitindo que ele “aprendesse” quais formas e sombras indicavam a presença delas. Segundo os pesquisadores, caso fossem usados métodos tradicionais, esse estudo levaria meses ou anos para ser completado. A utilização de imagens de altíssima resolução e inteligência artificial representa um grande avanço tecnológico nesse campo da ciência.

Segundo os cientistas, o número de árvores identificadas é surpreendente para uma região onde se supunha que houvesse pouca vegetação. O levantamento preciso dessas árvores oferecerá informações vitais para que pesquisadores possam formular estratégias de preservação ambiental envolvendo os desertos do Saara e Sahel. “Dados como esses são muito importantes para estabelecer um ponto de partida. Em um, dois, ou dez anos, o estudo pode ser repetido com novos dados e comparado com os dados de hoje, para ver se os esforços para revitalizar e reduzir o desmatamento são eficazes”, afirmou Jesse Meyer, pesquisador da NASA. Confira abaixo um vídeo sobre a descoberta (em inglês):


Fonte: NASA 

Imagem: Shutterstock.com