PALEONTOLOGIA

Dinossauro habitante do interior paulista era manco

Por: HISTORY Brasil

Há 20 anos, foi encontrada no interior de São Paulo a vértebra fossilizada de um titanossauro. Esse dinossauro herbívoro viveu na região há cerca de 85 milhões de anos. Agora, ao analisarem o fóssil, pesquisadores descobriram que o animal provavelmente era manco.

O fóssil estava há anos no Museu de Paleontologia Pedro Candolo, em Uchoa, no interior paulista. Uma anomalia nessa vértebra chamou a atenção do paleontólogo Fabiano Vidoi Iori, que trabalhava com o biólogo Leonardo Silva Paschoa na organização do acervo da instituição. Então, o osso fossilizado foi enviado para ser analisado por especialistas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e do Museu de Peirópolis (MG).



Vídeo relacionado

As análises indicaram que a anomalia foi causada por um processo infeccioso. Segundo Fernando Barbosa, especialista em paleopatologias da UERJ, o quadro inflamatório afetava a movimentação das patas traseiras, indicando que o animal mancava. De acordo com ele, a condição tornava o dinossauro vulnerável ao ataque de predadores, além de dificultar sua busca por água e alimentos. 

O estudo, de autoria de Iori, Barbosa, Paschoa e Thiago Marinho, foi publicado na revista Cretaceous Research. O trabalho é o primeiro a diagnosticar essa patologia em dinossauros do tipo no Brasil. A pesquisa é importante para o entendimento de enfermidades que afetavam determinados animais extintos.




Fonte: O Estado de São Paulo

Imagem: Shutterstock.com