Antigo Egito

Egito anuncia descobertas arqueológicas espetaculares que irão reescrever a história

Arqueólogos encontraram o templo funerário da rainha Naert e mais de 50 sarcófagos na necrópole de Saqqara, ao sul do Cairo. Além disso, foram descobertos artefatos como um papiro de cerca de 4 metros de comprimento que contém textos do Livro dos Mortos. Estima-se que os achados remontem ao período Novo Império, época entre os séculos XVI a.C e XI a.C.  Os especialistas acreditam que as descobertas podem reescrever a história daquele período do Egito.



O templo funerário da rainha Naert foi localizado nas proximidades da pirâmide do faraó Teti, seu marido. Ele governou o Egito durante 12 anos e teria sido assassinado no ano 2291 a.C. Nas proximidades do local também foram encontrados 52 sarcófagos de madeira, além de diversos potes de cerâmica, máscaras, um machado de bronze, pinturas e estatuetas de divindades. Essas descobertas confirmaram que Saqqara também servia como necrópole durante o Novo Império, algo que ainda não havia sido comprovado.

As escavações foram lideradas pelo renomado Zahi Hawass, ex-ministro das Antiguidades do país. Segundo ele, os achados podem lançar uma nova luz sobre o que se sabe de Saqqara durante o Novo Império, reescrevendo a história. Ele classificou a descoberta como uma das mais importantes dos últimos tempos. 



No ano passado, arqueólogos encontraram mais de 200 sarcófagos lacrados na necrópole de Saqqara. Estima-se que eles tenham cerca de 2500 anos. A descoberta é considerada especial porque é raro encontrar caixões egípcios preservados de forma intacta durante milênios.


Fontes: The Guardian e The Sun

Imagens: Shutterstock.com e Ministério das Antiguidades e do Turismo do Egito/Divulgação