ASTECAS

Espetacular gravura de águia é encontrada em templo asteca no México

Arqueólogos do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) encontraram no México uma verdadeira obra de arte do período Asteca. Trata-se de uma gravura em baixo-relevo que representa uma águia dourada. A imagem foi descoberta aos pés do Templo Mayor, na capital mexicana, e estima-se que ela tenha cerca de 600 anos.

Segundo os arqueólogos, essa é a maior gravura em baixo-relevo já encontrada no templo em forma de pirâmide erguido no coração da antiga capital asteca de Tenochtitlán (atual cidade do México). A impressionante imagem mede 1,06m de comprimento por 70cm de largura. Estima-se que ela tenha sido esculpida na época do reinado de Montezuma I (1440 - 1469).



"É uma peça belíssima que mostra os grandes segredos que o Templo Mayor de México-Tenochtitlan ainda tem a revelar", disse Alejandra Frausto Guerrero, ministra da Cultura do México. Os antigos astecas se referiam à águia dourada (Aquila chrysaetos canadensis) como itzcuauhtli, que significa “águia obsidiana” no idioma náuatle.

Segundo especialistas, a relevância da gravura é demonstrada não só pelo seu tamanho e acabamento, mas também pela sua localização, ao pé do edifício mais importante para os astecas, no eixo central que atravessa a 'capela' de Huitzilopochtli e a escultura monumental da deusa Coyolxauhqui. O local também fica próximo de Cuauhxicalco, um edifício circular cujo nome se traduz como "lugar da taça da águia", onde, segundo documentos do século XVI, eram realizadas as cremações rituais dos governantes Tenochca.




Fontes: Live Science e INAH

Imagens: Mirsa Islas/INAH/Divulgação