FÍSICA

Estudante encontra um “anel de Einstein” acidentalmente

A doutoranda Margheritta Bettinelli descobriu o famoso anel de Einstein, previsto na Teoria da Relatividade Geral do físico alemão.

Ele consiste na distorção de uma luz que pode vir, por exemplo, de uma galáxia distante, e que é gerada pela deformação gravitacional produzida quando há uma galáxia maciça, chamada lente, entre a galáxia de origem e o observador.

Estando esses três elementos perfeitamente alinhados, o campo gravitacional da galáxia-lente causa uma deformação da estrutura espaço-temporal, que modifica o trajeto da luz. O fenômeno foi batizado pela equipe de Bettinelli como o “anel de Einstein das Canárias”.

“Estudar esses fenômenos nos traz dados relevantes sobre a constituição da galáxia de origem e também sobre a estrutura do campo gravitacional e da distribuição da matéria escura na galáxia-lente”, afirmou Antonio Aparicio, um dos astrofísicos que lideraram o estudo.

Últimas análises detectaram pequenas distorções, que mostram a presença de uma galáxia anã.

Betinelli cursa o doutorado no Instituto de Astrofísica das Canárias e da Universidade de La Laguna.





Fonte: El Mundo 

Imagem: Instituto de Astrofísica das Canárias