saúde

Estudo diz que humanos podem chegar aos 150 anos de idade

Caso terapias sejam desenvolvidas para estender a resistência do corpo, poderíamos viver mais e com maior saúde
Por: HISTORY Brasil

De acordo com um estudo publicado pela revista Nature Communications, é tecnicamente possível que os seres humanos possam viver mais de 120 anos. Os pesquisadores acreditam ainda que 150 anos seja o limite da longevidade para indivíduos de nossa espécie. Caso terapias sejam desenvolvidas para estender a resistência do corpo, poderíamos viver mais e com maior saúde, argumentam os cientistas.

Resistência cessaria aos 150 anos

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores usaram modelos matemáticos para identificar padrões de envelhecimento e morbidade. O estudo foi baseado na análise de grandes conjuntos de informações médicas de mais de 500 mil pessoas dos Estados Unidos, Reino Unido e Rússia.



A partir de exames de sangue, os pesquisadores usaram um modelo de computador para determinar o que chamaram de indicador dinâmico do estado do organismo (ou DOSI na sigla em inglês). Esse indicador é basicamente uma medida da "idade biológica" que pode ser usada para quantificar o quanto uma pessoa seria capaz de se recuperar de traumas, como uma doença ou lesão. Com base nos dados, os pesquisadores descobriram que em algum momento entre 120 e 150 anos de idade, a resistência do corpo cessaria totalmente e uma pessoa seria incapaz de sobreviver.



Os pesquisadores ponderam que outros fatores, como estilo de vida, dieta e renda influenciam no envelhecimento. Mas eles argumentam que se houvesse uma maneira de aumentar a resistência na velhice, isso não apenas aumentaria a longevidade humana, mas também a qualidade de vida, uma vez que os idosos seriam capazes de se recuperar mais facilmente de doenças e lesões. “Se a perda de resistência não for tratada, qualquer intervenção médica fracassará”, diz o estudo.

VER MAIS:


Fonte: Live Science

Imagens: iStock.com