ESPAÇO

Existem muito menos galáxias no universo do que se imaginava, diz estudo

A espaçonave New Horizons, lançada em 2006 com o objetivo de estudar os limites do Sistema Solar, constatou que o número estimado de galáxias é menor do que se imaginava. Medições anteriores do Telescópio Espacial Hubble indicavam que havia 2 trilhões delas espalhadas pelo universo. Mas os novos dados apontam para a existência de apenas centenas de bilhões de galáxias. O estudo foi publicado pelo Astrophysical Journal.

Segundo os pesquisadores, a estimativa sobre o número de galáxias estava superestimada devido a limitações do Hubble. O principal motivo para esse equívoco está na presença de poluição luminosa, fator que prejudica a observação do espaço. Como a New Horizons vaga por uma região 10 vezes menos luminosa de onde está o Telescópio Espacial, ela está em uma posição privilegiada para coletar informações com maior exatidão.



Atualmente, a New Horizons está cruzando o Cinturão de Kuiper, a mais de 6,4 bilhões de quilômetros da Terra, enquanto o Hubble orbita o nosso planeta a uma distância de apenas 600 quilômetros. Assim, a ausência de luz permitiu que a espaçonave observasse de forma otimizada as profundezas do espaço. Graças à baixa poluição luminosa, a missão espacial conseguiu enviar dados mais precisos sobre o brilho e a luz difusa gerados pelas galáxias no Universo.



A estimativa anterior do número de galáxias havia sido determinada contando todas as que estavam visíveis no campo de profundidade do Hubble, multiplicando-as com base na área total do céu. Mas com as novas observações feitas pela New Horizons, os cientistas puderam corrigir esse número. Apesar de constatar que o número de galáxias está na casa das centenas de bilhões, a quantidade total delas ainda permanece um mistério. Segundo a NASA, o lançamento do telescópio James Webb, em outubro, pode ajudar a desvendar essa questão.


Fonte: CNN

Imagens: Shutterstock.com e NASA/Divulgação