PALEONTOLOGIA

Fóssil de espécie desconhecida de morcego de 16 milhões de anos é encontrado na Espanha

Pesquisadores encontraram o fóssil de uma espécie de morcego que viveu há 16 milhões de anos na Espanha. A descoberta aconteceu no sítio paleontológico de Mas d'Antolino B, em Araia d'Alcora, na região de Valência. De acordo com os cientistas, os restos fossilizados datam da era geológica conhecida como Mioceno inferior.

Ao todo, foram encontrados os fósseis de dez morcegos na região. Os pesquisadores se surpreenderam quando perceberam que um deles pertencia a uma espécie até então desconhecida. A identificação foi possível graças à análise de seus dentes. O estudo internacional foi liderado por  Francisco J. Ruiz Sánchez e Plini Montoya, da Universidade de Valência. 

A nova espécie foi batizada com o nome científico de Cuvierimops penalveri. Ela pertence à família de morcegos chamada molossídeos, mas curiosamente faz parte de um gênero que se imaginava extinto há dez milhões de anos. Essa família era predominante na Europa durante o período Oligoceno (entre 23 e 33 milhões de anos atrás), mas no início do Mioceno ela havia se reduzido a um pequeno número de espécies. 

No sítio paleontológico de Mas d'Antonio B, descoberto em 2008, foram encontrados fósseis de inúmeras espécies de animais, como musaranhos, esquilos, hamsters, arganazes, crocodilos, entre outros. Eles viveram no início do Mioceno, especificamente na “era dos mamíferos” denominada Aragônia. Naquela época, o clima da região era tropical. Isso é confirmado pela abundância dos morcegos molossídeos, que hoje são comuns em áreas tropicais, como as Américas do Sul e Central, Etiópia, Índia e Austrália.


Fonte: Asociacion RUVID, via Phys.org

Imagem: Shutterstock.com