CRIMES

George Parrott, o criminoso que foi transformado em um par de sapatos

George Parrott, apelidado de "Big Nose" ("Narigão", em tradução livre), era um famoso criminoso que fazia parte de uma gangue que atuava no Wyoming, nos Estados Unidos. Sua quadrilha se dedicava ao roubo de diligências e trens. No entanto, ele ficou famoso por possivelmente ser a única pessoa na história que após a morte foi transformado em um par de sapatos.

Tudo começou em 16 de agosto de 1878, enquanto os bandidos tentavam roubar um trem da Union Pacific. Eles não apenas fracassaram em seu objetivo, mas os funcionários da ferrovia reuniram um grupo de homens para perseguir os criminosos e até ofereceram uma recompensa de US$ 10 mil pela captura dos membros da gangue, vivos ou mortos. A gangue de Big Nose acabou trocando tiros com seus perseguidores, matando dois agentes da lei.

Dois anos depois, em Miles City, Montana, Parrott cometeu o erro de se embriagar e relatar o planejamento daquele roubo e como seus perseguidores foram mortos. A confissão chegou rapidamente ao xerife Rankin, que foi ao bar onde o infrator estava bebendo e o prendeu.

Em 22 de março de 1881, enquanto Parrott tentava escapar da prisão, ele assassinou o xerife Rankin. Por represália, foi espancado por cerca de 200 pessoas e amarrado a um poste de telégrafo, onde foi enforcado e ali permaneceu por várias horas, até que os médicos Thomas Maghee e John Osborn decidiram removê-lo para estudar seu cérebro.

Mais tarde, o Dr. Osborn removeu toda a pele das coxas e do peito de Parrot e mandou fazer um par de sapatos e uma maleta de médico para ele. Quando o pedido foi concluído, Osborn calçou os sapatos com orgulho. Atualmente, o Museu Rawlins exibe uma máscara mortuária de Parrot, seu crânio e os infames sapatos feitos de sua pele.


Fonte: Clarín 

Imagens:  Domínio Público, via Wikimedia Commons