google

Google x tubarões: entenda porque o maior predador dos mares é motivo de dor de cabeça para o gigante Google

Um conflito de "universos" parace estar se desenhando nas profundezas marítimas: de um lado, o mundo superdesenvolvido das comunicações e, do outro, os tubarões. A gigante Google está quebrando a cabeça para encontrar uma solução aos ataques destes famosos predadores contra os cabos de fibra óptica no fundo do mar. Parece estranho o fato de esses animais se dedicaram à caça de um elemento tão pouco nutritivo, mas as marcas de suas mordidas são uma prova indiscutível.

Os cabos de fibra óptica emitem sinais eletromagnéticos similares aos dos peixes, mas, oficialmente, não se conhecem muitos detalhes do assunto. Segundo o diretor do Programa da Flórida de Pesquisa para Tubarões, George Burgess, os dados sobre essas mordidas são informações secretas, de tal maneira que “os chefes das equipes que sofreram algum dano não querem que saibam onde está o problema. Pedem-nos que determinemos o que poderia ter danificado um cabo que nos trazem, sem sequer nos dizer onde ele estava”, afirma Burgess.



O que se sabe é que a Google começou a utilizar um material parecido com o kevlar, que é utilizado na confecção de coletes à prova de balas, para seus cabos submarinos. E o gosto dos tubarões por esses fios não é novo: a primeira evidência foi encontrada nas Ilhas Canárias, em 1985, quando descobriram dentes cravados em um cabo. É claro que, agora, com a proliferação de informações que circulam no fundo do mar, o problema se tornou muito mais grave: atualmente, existem 200 cabos de fibra óptica na rede submarina, usados para o envio de dados a todo o mundo. Mais de 95% do tráfego de voz e dados passa por essa infraestrutura.

Como seguirá essa batalha? Será que os gigantes da comunicação encontrarão um modo de deter os gigantes do mar?



Assista ao vídeo

 

Fonte e imagens: 20 Minutos e BBC