TESOUROS

A história do desempregado que "invocou espíritos" e encontrou um tesouro histórico

A incrível história do Tesouro de Staffordshire, um dos maiores da história
Por: HISTORY Brasil

No ano de 2009, dois homens encontraram um dos maiores tesouros anglo-saxões da história em Staffordshire, Inglaterra. Os artefatos de ouro e prata datavam da época dos reis Vulfário, Etelredo I e Ceolvaldo, que governaram entre os séculos VII e VIII. A descoberta acabou resultando no fim da amizade entre Terry Herbert, um desempregado de 55 anos, e Fred Johnson, um fazendeiro da região das Terras Médias Ocidentais.

Tesouro de Staffordshire

Herbert pediu permissão a Johnson para caminhar por suas terras com um detector de metais barato, para ver se conseguia encontrar algo. O fazendeiro disse que sim, com a condição de que ele encontrasse a chave inglesa que havia perdido há tempos. No entanto, depois de “invocar alguns espíritos”, ele encontrou algo mais que objetos de metal: peças de ouro e prata embaixo da terra. 



Tempos mais tarde, foram descobertas mais de 3500 peças valiosas, muitas delas pertencentes a ornamentos de vestimentas militares utilizados pelos anglo-saxões que viveram durante os séculos VII e VIII no Reino de Mércia. No total, graças à ajuda de arqueólogos, foram encontrados cinco quilos de ouro e 1,5 kg de prata.


Terry Herbert visitando parte do tesouro no Museu Britânico

Após idas e vindas sem saber o que fazer com tão enorme descoberta, em 24 de setembro de 2009, os protagonistas do fato decidiram tornar o montante público. O tesouro de Staffordshire foi avaliado em 3,28 milhões de libras. Com a venda das peças a diversos museus, Fred e Terry dividiram a fortuna entre eles. 



No entanto, esse foi o começo de uma ruptura social: ambos acreditavam que um queria mais dinheiro que o outro. No final da história, tanto Johnson como Herbert ficaram ricos, mas deixaram de ser amigos.

VER MAIS


Fonte: Clarín

Imagens: David Rowan/Birmingham Museum and Art Gallery, Daniel Buxton/Birmingham Museum and Art Gallery e Portable Antiquities Scheme, via Wikimedia Commons