POLÍTICA

"Hitler Mussuline" é candidato a vereador no interior de Minas Gerais

Já virou tradição no Brasil a presença de candidatos com nomes estranhos quando há eleições. Em 2020 o cenário não é diferente. Este ano, até mesmo um "Hitler Mussuline" entrou na disputa.

Na verdade, quatro candidatos a vereador se chamam Hitler, mas três deles omitem o nome do ditador nazista nas urnas. Seus nomes completos são Hitler Vagner Candido De Oliveira (candidato em Juiz de Fora - MG, pelo PSB, com o nome de "Vagner de Oliveira"), Thanack Hitler Da Silva Costa (candidato em Teresina - PI, pelo PMN, com o nome "Capitão Thanack"), Astórico Hitler Mussuline Teixeira (candidato em Santana dos Montes - MG,  pelo Republicanos, usando apenas o nome "Astórico") e Hitler Kleber Pederssetti (candidato em São Leopoldo - RS pelo DEM, o único que usa o nome na campanha).

Outros nomes inusitados também participam da disputa. Em Minas Gerais, as eleições contam com Ferreira do Sucavão (candidato em Dores de Guanhães, pelo Patriota), Pé de Pato do Lixo (candidato em Bambuí, pelo Podemos) e Adriano Pirulito (candidato em Cana Verde, pelo DEM). No Rio de Janeiro, disputam Capitã Cloroquina (candidata na capital, pelo Avante), Bruxa (candidato em Duque de Caxias, pelo PP) e Sanduba (também candidato em Duque de Caxias, pelo Patriota).

Eleitores de outros estados têm a opção de votar em Clebe Pode Crê (candidato em Oiapoque-AP, pelo Republicanos), Professor Goiaba (candidato em Ponta Grossa-PR, pelo PV), Chapolim (candidato em Brusque-SC, pelo Republicanos), Bin Laden do Bem (candidato em Novo Gama-GO, pelo DC), Cado  - Cara de Bolo (candidato em Florianópolis-SC, pelo PP) e Jiraiya Jaspion Jiban (candidato em Salvador-BA, pelo PDT).


Fontes: UOL, Época, O Município, O Tempo e Meia Hora

Imagem: Fábio Pozzembom/Agência Brasil