mistério

A incrível história da "múmia extraterrestre" encontrada no Chile

Um estudo recente revelou novos detalhes sobre o suposto extraterrestre
Por: HISTORY Brasil

Durante uma exploração no povoado chileno La Noria, no deserto do Atacama, em 2003, um pesquisador amador encontrou um tecido branco dentro de uma bolsa de couro que envolvia algo fascinante e estranho: um pequeno esqueleto mumificado. As dimensões diminutas e o formato inusitado do crânio levaram a crer em um primeiro momento que poderia ser uma múmia extraterrestre.

A verdade sobre a "múmia alienígena"

O corpo descoberto media 15 centímetros de comprimento, tinha 10 pares de costelas, órbitas imensas e uma cabeça em forma de cone. A figura misteriosa chamou a atenção dos especialistas, e não tardaram em aparecer as primeiras especulações sobre sua origem incerta.



No entanto, após vários estudos, pôde-se determinar que o esqueleto, que recebeu dos pesquisadores o nome de “Ata”, nada tinha a ver com alienígenas. Segundo uma pesquisa publicada na revista científica Genome Research, em maio de 2018, os restos ósseos pertenciam a uma menina com má-formação congênita que pode ter morrido pouco tempo após ter nascido.

Os cientistas se surpreenderam pela maturidade dos ossos, que apresentava 64 mutações em seus genes. Algum tempo mais tarde, pôde-se detectar que se tratava de uma menina vinculada aos povos originários chilenos, e que também tinha traços de uma ascendência europeia. Assim, os pesquisadores acreditam que o esqueleto tenham menos de 500 anos, sendo posterior à colonização europeia do Chile.



Após uma série de estudos para determinar sua origem, Ata foi devolvida ao Chile e sepultada sob os costumes locais. Para os especialistas, esse caso singular poderia ter um grande potencial para melhorar a compreensão de distúrbios genéticos dos ossos.

VER MAIS:


Fonte: La Nación 

Imagens: Emery Smith/ Stanford University/Reprodução