fukushima

Javaporcos radioativos aterrorizam zona de exclusão nuclear de Fukushima

Um novo estudo analisou como a radiação afetou a vida selvagem após o acidente na usina nuclear
Por: HISTORY Brasil

Após o desastre nuclear na usina de Fukushima, no Japão, em 2011, a população da área teve que ser evacuada. Um novo estudo analisou como a radiação afetou a vida selvagem que ficou para trás nessa zona de exclusão. Para surpresa dos pesquisadores, eles descobriram um grupo de javaporcos radioativos vivendo na região.

Javalis e porcos radioativos

Os javaporcos são fruto da cruza entre javalis selvagens e porcos domésticos que escaparam após seus donos terem sido forçados a abandonar a área. Esses animais estão vivendo livres em uma região que era habitada por cerca de 160 mil pessoas antes do acidente nuclear. O comportamento dos bichos é descrito como "agressivo e destemido". O estudo foi publicado na revista científica Proceedings of the Royal Society B.



De acordo com o estudo, a população de javaporcos se espalhou pela zona de exclusão,  em um raio de 20 km do local da antiga usina nuclear, onde os níveis de radiação são mais altos. A pesquisa constatou que esses animais híbridos não apresentam nenhum sinal de mutação, apesar das doses de radiação a que foram submetidos. Análises da população local de javalis indicam que eles estão contaminados por até 300 vezes a dosagem humana segura do isótopo césio-137, ou seja, são altamente radioativos.



Os híbridos radioativos representam 16% da população dos 243 javalis cujo material genético foi coletado para a pesquisa. Casos de animais selvagens ocupando antigas áreas urbanas abandonadas são relativamente comuns. Há anos, cavalos de Przewalsk dominam uma vasta região da zona de exclusão de Chernobyl.

VER MAIS


Fontes: The RegisterMirror e Phys.org

Imagem: iStock.com