Tá Na História

As lorotas mais absurdas do maior criador de fake news da história

A cidadezinha de Winsted, em Connecticut, vivia um marasmo de dar gosto. Não acontecia nada. 

Isso só foi mudar quando nasceu Louis T. Stone, em 1875. Na verdade não foi exatamente quando ele nasceu, mas bem perto. 



Aos 13 anos, o rapaz já era repórter de um jornal local. Mas não chamava atenção. Não era muito lido. 

Então, certo que tinha que mudar a estratégia, Lou, como era conhecido, decidiu inventar histórias mirabolantes.

Com 20 anos na carcaça, ele inventou que o “Pé Grande” foi visto na floresta. Repórteres de todas as partes dos Estados Unidos foram para lá. Pessoal acampando para registrar o “Pé Grande”. Repórteres rezando para conseguir um registro. Nada. Só encontraram um maluco que não falava lé com cré. 



Depois dessa, Lou Stone não parou. Inventou que havia uma galinha que botava ovos vermelhos, brancos e azuis em todo 4 de julho, homenageando a independência dos Estados Unidos. Inventou a história de um fazendeiro que depenava galinhas usando aspirador de pó. Um rio que corria pra cima. E por aí vai. 

Quer saber os detalhes do maior criador de fake news? Aperta o play que o Tá na História te conta tudo.


THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade. 


Imagem: Domínio Público