Tá Na História

Meningite: a epidemia que foi censurada pelos militares no Brasil na década de 1970

Por Thiago Gomide do Tá na História.

Parceria HISTORY e Ta Na História

Por uma sequência de motivos, o Brasil teve uma aceleração econômica impressionante de 1968 a 1973.

O chamado Milagre Econômico fez com que nosso PIB alcançasse 14% em 1973. Emprego em alta. Inflação baixa. Exportação. Imagem de país pujante.

Para um regime que precisava mostrar que estava tudo bem interna e externamente, nada melhor que esse cenário. Era a consolidação de uma vitória. Era a consolidação de um rumo para o Brasil.

Você abria os jornais e estava tudo bem. Só comemorações.

O problema é que as pessoas não sabiam que os jornais, as tvs, os rádios, as revistas, a imprensa não podia contar, não podia dizer, o imenso problema de saúde que estávamos atravessando. 

O Governo defendia que o surto de meningite era uma questão de segurança nacional, então não podia assustar a população, deveria mostrar que tudo estava bacana.

Em 1971, em Santa Amaro, distrito de São Paulo, a bomba explodiu.

Médicos, da USP, da Santa Casa, de diferentes lugares de referência, avisaram o que estava acontecendo.

Mas não foram ouvidos. Era uma notícia muito ruim para um momento tão bom. Os governos ignoraram. Tanto o de São Paulo como o Nacional.

No começo, a imprensa ainda deu alguma coisa, mas foram desmentidos pelas autoridades. A imprensa foi acusada de “fake news”. 

Foi igual bolo: cresceu, cresceu, cresceu...

Em 1974, não dava mais para esconder: milhares de casos em São Paulo, outros tantos espalhados pelo Brasil, em especial no Rio de Janeiro.

O cenário nos soa familiar: faltam hospitais, médicos, não tinha vacina por perto, não havia plano de contenção, a comunicação era péssima...

Em São Paulo, é estimado que mais de 40 mil pessoas foram infectadas. 

Desespero geral. O que fazer? Pobres e ricos corriam riscos. Não com a mesma proporção, evidentemente. Mas corriam.

Uma galera, veja só, buscou automedicação.

Muitos ganharam dinheiro vendendo remédios milagrosos. Como agora.

Quer saber os detalhes dessa história? Como conseguimos nos afastar da meningite? Aperta o play!

 


THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade. 


Imagem: Instituto Butantan/YouTube/Reprodução