Titanic

Mensagem em garrafa que teria sido lançada por passageira do Titanic intriga pesquisadores

Menina de 13 anos teria jogado a carta no mar, do convés do navio, um dia antes da tragédia
Por: HISTORY Brasil

Mais de cem anos após o naufrágio do Titanic, uma família canadense encontrou na costa da Baía de Fundy uma mensagem em uma garrafa supostamente enviada por uma adolescente francesa que estava a bordo do navio. Agora, pesquisadores da Universidade de Quebec em Rimouski, no Canadá, tentam determinar se ela é autêntica

Titanic: mensagem em garrafa é autêntica?

“A garrafa pode ser o primeiro artefato do Titanic encontrado na costa americana”, disse o historiador Maxime Gohier. A carta teria sido escrita em 13 de abril de 1912, um dia antes do transatlântico afundar. Trata-se de uma mensagem assinada por Mathilde Lefebvre, uma garota de 13 anos. O manuscrito dizia: “Estou jogando esta garrafa no mar no meio do Atlântico. Devemos chegar a Nova York em alguns dias. Se alguém encontrar, avise a família Lefebvre em Liévin”.



Os investigadores descobriram que uma passageira chamada Mathilde Lefebvre realmente estava a bordo do Titanic. Natural de Liévin, no departamento de Pas-de-Calais, no norte da França, ela viajava na terceira classe com sua mãe e três de seus irmãos para encontrar o pai, que havia se mudado para os Estados Unidos. O naufrágio aconteceu na madrugada de 14 para 15 de abril de 1912, na costa de Newfoundland, Canadá. Tanto a adolescente quanto seus familiares morreram no trágico acidente que tirou a vida de 1.500 pessoas.

As primeiras análises indicam que a carta e a garrafa são consistentes com o tipo de vidro, rolha e papel usados no início do século XX. No entanto, a letra da carta não condiz com a forma como os estudantes franceses escreviam na época, aprofundando ainda mais o mistério. A pesquisa nos arquivos revelou amostras da caligrafia de sua mãe e de seu pai, mas nenhum documento que permita que a mensagem seja atribuída com certeza a Mathilde.



A suposta trajetória da garrafa no Atlântico Norte também está sendo analisada pelos especialistas. "As simulações das correntes marítimas também mostraram como um objeto flutuante poderia, apesar de uma probabilidade muito baixa, ter boiado do ponto onde o Titanic estava localizado em 13 de abril de 1912 até a baía de Fundy”, afirmou o professor Daniel Bourgault, que participa das investigações.

Os pesquisadores não descartam a hipótese de que a mensagem pode ter sido falsificada na época por alguém querendo chamar atenção logo após o naufrágio. Outra possibilidade é que ela tenha sido confeccionada recentemente para aparentar antiguidade. Portanto, novos estudos serão necessários para determinar se a carta é autêntica.

VER MAIS:


Fontes: Independent e Universidade de Quebec em Rimouski

Imagens: Universidade de Quebec em Rimouski/Divulgação, Domínio Público, via Wikimedia Commons e Shutterstock.com