meio ambiente

Misteriosa "catarata de sangue" na Antártida intrigou cientistas por cem anos

Por mais de um século, uma cachoeira com águas de coloração vermelha intrigou os cientistas do mundo todo que tentaram explicar o fenômeno. Ela está localizada nos vales secos de McMurdo, nas proximidades da Geleira Taylor, fluindo para o Lago Bonney. Além do espetáculo visual, a cascata também apresentam outra característica intrigante: ela nunca congela, mesmo quando as temperaturas chegam a -60° C.

Somente em 2017, após várias hipóteses terem sido descartadas, uma equipe de pesquisadores desvendou o mistério da "catarata sangrenta". Com o uso de radares, os especialistas conseguiram determinar que uma elevação do nível do mar ocorrida há 5 milhões de anos inundou o continente Antártico e gerou um lago subterrâneo de água salgada. Com o tempo, geleiras se formaram no espelho do lago, que foi então separado do restante da Antártida.

Os cientistas concluíram que a cachoeira vermelha ficou intacta por milhões de anos sob mais de 400 metros de gelo. À medida que a massa de gelo crescia na superfície, o lago salgado ficava cada vez mais salgado, a ponto de hoje ter três vezes mais sal que a água do mar, fator chave para mantê-lo em estado líquido, já que sua temperatura permanece inalterada. Além disso, por não entrarem em contato com a atmosfera ou a luz solar, essas águas não possuem oxigênio.

Por fim, os pesquisadores descobriram que o segredo do vermelho intenso das águas está no altíssimo teor de ferro, que, ao subir à superfície, entra em contato com o ar e depois se oxida. O espetáculo da cachoeira de sangue da Antártida é reservado a poucos privilegiados, já que o local só é acessível por helicóptero, ou por alguns cruzeiros que navegam pelo Mar de Ross.


Fonte: La Nacion

Imagens: PBS/Reprodução