CURIOSIDADES

Muito além de "It - A Coisa": ciência explica o medo de palhaços

Por: HISTORY Brasil

O medo de palhaços não é uma esquisitice: é uma fobia social registrada há séculos e que afeta 2% da população mundial.

São muitos os estudos que abordam a temática e existe, inclusive, um termo técnico para nomeá-lo: coulrofobia.

[O HISTORY AGORA ESTÁ NO SPOTIFY: CLIQUE AQUI E SIGA-NOS]

 





Costuma-se pensar que as origens do medo aos palhaços remonta ao famoso romance “It: A Coisa” (1986), do genial Stephen King, que narra, em tom de terror, os crimes cometidos por um palhaço psicótico, que sequestra crianças.

No entanto, a coulrofobia, ou seja, o medo tão inevitável quanto inexplicável de palhaços, existe há centenas de anos e é muito provável que Stephen King soubesse muito bem disso no momento em que criou sua história.

Estudos publicados pelo Instituto Smithsoniano, nos EUA, afirmam que 2% da população mundial sofre com essa fobia, originada paradoxalmente na infância, quando a figura dos palhaços surge em várias ocasiões e com certa frequência. 

O cérebro das crianças reage com susto natural a qualquer palhaço. Ele é um personagem supostamente hilariante, que esconde uma identidade atrás de quilos de maquiagem e trajes grotescos. A dualidade que o palhaço representa deixa qualquer criança inquieta ou desconfortável. 

A característica careta de sorriso dos palhaços é especialmente perturbadora para as crianças que atravessam uma fase de desenvolvimento na qual os gestos são fundamentais. Um rosto com o sorriso forçado pela maquiagem gera estresse e a liberação de cortisol ou adrenalina, duas substâncias que deixam marcas.

O estudo revelado pela Universidade de Sheffield afirma que a maioria das crianças que dá entrada em hospitais se assusta com os desenhos de palhaço que, muitas vezes, são exibidos nas pediatrias. No lugar deles, elas sugerem a substituição por animais e plantas.

É notável também que, desde o início do século XX, quando foi registrado um pico na atividade dos palhaços, o ofício tenha decaído substancialmente. Por exemplo, o número de pessoas inscritas na Sociedade Mundial do Palhaço diminuiu drasticamente.

Enquanto isso, os artistas circenses mais jovens tendem a preferir outras áreas, e a persona do palhaço, aos poucos, cai em desuso.

 



 


Fonte: supercurioso.com
Imagem: Sergey Shubin/Shutterstock.com