CORONAVÍRUS

Mulher de 102 anos teria se curado de COVID-19 pela segunda vez nos EUA

Há alguns meses, Angelina Friedman estampou as manchetes por ter se curado da COVID-19 aos 101 anos. Agora, já com 102 anos, ela teria superado a doença novamente, de acordo com sua filha.  "Minha mãe invencível testou negativo", disse Joanne Merola.

Friedman mora no lar de idosos North Westchester Restorative Therapy, em Nova York, nos Estados Unidos. Em março, ela foi internada em um hospital e teve febre por várias semanas enquanto lutava contra o coronavírus. Ela foi considerada curada em 20 de abril.

Agora, Joanne Merola contou à CNN que sua mãe foi diagnosticada novamente com a doença em outubro. Dessa vez, Friedman não foi internada, mas ficou em isolamento, apresentando sintomas como febre e tosse seca. Em 17 de novembro ela fez um novo teste, apresentando resultado negativo. 

Segundo a CNN, a casa de repouso onde Friedman mora ainda não confirmou se ela realmente contraiu a doença novamente. De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz, casos de reinfecção por COVID-19, embora sejam raros, estão sendo identificados em vários países. 

Angelina Friedman nasceu em um navio que viajava da Itália para os Estados Unidos durante a pandemia de gripe espanhola de 1918. De acordo com sua filha, ela sobreviveu ao câncer, a abortos espontâneos, hemorragias internas e sepse. "Ela não é humana. Seu DNA é sobre-humano”, disse Merola. 


Fonte: CNN

Imagens: North Westchester Restorative Therapy/Facebook/Reprodução