clima

O ambicioso plano chinês para "semear" nuvens no céu

Por: HISTORY Brasil

Há algum tempo, o governo chinês promove programas de manipulação do clima. Recentemente, o país voltou a ser notícia ao anunciar que tem como objetivo expandir significativamente a sua capacidade operacional nessa área. A ideia é expandir a quantidade de chuva ou neve artificial para cobrir quase 6 milhões de quilômetros quadrados até 2025. Para isso, a China irá investir em um programa de "semeadura" de nuvens.

Segundo o Conselho de Estado da China, o projeto ajudará no socorro a desastres, na produção agrícola, na ação rápida contra incêndios em florestas e pastagens, bem como na gestão de altas temperaturas ou secas. A "semeadura" consiste na pulverização de substâncias como o iodeto de prata nas nuvens, para tentar fazê-las produzir chuva. Essa não é uma técnica nova, os primeiros testes começaram na década de 1940, principalmente nos Estados Unidos.



Mas a adoção dessa técnica já causa polêmica. Alguns países apontaram que a falta de coordenação nas atividades de manipulação do clima pode levar a acusações de "roubo de chuva" entre países vizinhos. De acordo com Dhanasree Jayaram, especialista em clima na Academia Manipal de Educação Superior, em Karnataka, Índia, o método poderia impactar as monções de verão no território indiano, fenômeno climático que provoca fortes chuvas e longas secas durante diferentes períodos do ano.

Além disso, a maior preocupação da região não é tanto com a semeadura de nuvens, mas sim com a possibilidade de que os chineses implementem outras tecnologias ambiciosas de geoengenharia, como o gerenciamento ou controle da radiação solar, sem perguntar aos seus vizinhos. Como a China tem relações tensas com países como a Índia, isso poderia ser outra fonte de atritos



Imagem: plavevski / Shutterstock.com


Fonte: BBC

Imagens: Shutterstock.com