espionagem

O bizarro plano da CIA de usar "gatos ciborgues" para espionar soviéticos

Felinos deveriam gravar e transmitir conversas de russos durante a Guerra Fria
Por: HISTORY Brasil

A existência de um dos planos mais bizarros da CIA foi confirmada após décadas de boatos e especulações. De acordo com documentos que perderam o sigilo recentemente, a agência de inteligência dos Estados Unidos pretendia usar "gatos ciborgues" para espionar soviéticos durante a Guerra Fria. O projeto foi batizado de “Operation Acoustic Kitty" ("Operação Gatinho Acústico", em tradução livre).

O plano consistia em implantar um microfone no canal auditivo do gato e um pequeno transmissor de rádio na base de seu crânio. Equipado com esses dispositivos, o bichano poderia ser treinado para entrar furtivamente nas embaixadas soviéticas ou mesmo no Kremlin. Assim, conversas importantes seriam gravadas e enviadas aos agentes da CIA.



Projeto do gato espião foi abandonado

O estranho projeto já havia sido citado anteriormente por testemunhas, mas até agora não havia documentos oficiais que provassem sua existência. “Muito dinheiro foi gasto. Eles abriram o gato, colocaram baterias nele, conectaram-no. A cauda foi usada como antena. Eles fizeram uma monstruosidade. Foram feitos vários testes", disse Victor Marchetti, assistente especial do Diretor Adjunto da CIA na década de 1960, de acordo com o livro The Wizards of Langley (2001).

Marchetti afirmou ainda que um dos gatos do projeto teria sido atropelado por um táxi durante um teste. Os documentos oficiais não confirmam essa informação. Segundo um relatório, o programa foi considerado um sucesso, mas acabou abandonado por não ter utilidade para a CIA.



VER MAIS:


Fonte: IFLScience

Imagens: Shutterstock.com