GUERRAS

O dia em que o mundo quase entrou na Terceira Guerra Mundial (e atômica)

Por: HISTORY Brasil

O fascinante relato de um veterano das forças aéreas dos EUA confirmou que, durante a crise dos mísseis de Cuba, o mundo esteve a um passo da Terceira Guerra Mundial. Naquele momento, o território de Okinawa contava com bases militares americanas, estabelecidas depois da rendição do Japão em 1945. Em uma delas, estava o comandante William Basset, falecido em 2011 e protagonista dessa história, além do capitão John Bordne, testemunha do ocorrido.

[VEJA TAMBÉM: Saiba como os nazistas também entraram na corrida pela bomba atômica]

O relato de Bordne começa em 28 de outubro de 1962. Naquela madrugada, a base aérea secreta recebeu uma mensagem criptografada proveniente do quartel-general. E ela trazia ordens muito específicas: de Okinawa, deveriam ser lançados 32 mísseis nucleares (cada um com uma potência 70 vezes maior que a bomba de Hiroshima) em direção às cidades de Pequim (China), Hanói (Vietnã), Pyongyang (Coreia do Norte) e Vladivostok (Rússia). William Basset decidiu desobedecer à ordem e acabou mudando completamente o curso da história.

Alegando que as interferências de rádio não o haviam permitido ouvir a mensagem corretamente, o comandante se certificou de que nenhum míssil fosse lançado. E, para conseguir isso, teve, inclusive, que ameaçar de morte o soldado responsável por apertar o botão de lançamento. Quando as bases aéreas e o centro de operações se comunicaram novamente, o plano de ataque nuclear americano já havia sido abortado.



 

 


Fonte: RT
Imagem: Everett Historical/Shutterstock.com