IMPERIO BIZANTINO

O imperador que precisou implantar um nariz de ouro para assumir o trono

Por: HISTORY Brasil

Uma lei do Império Bizantino impedia que pessoas com defeitos físicos se consagrassem monarcas. Mas isso não impediu que Justiniano II, cujo nariz havia sido mutilado, assumisse o trono usando uma prótese de ouro. Ele ficou conhecido como Rinotmetos, que significa "nariz cortado".

Devido a essa lei peculiar, a mutilação foi usada de forma cruel para alterar a linha sucessória do Império Bizantino. Aos 12 anos de idade, Justiniano testemunhou seu pai, Constantino IV, ordenar que seus dois tios se submetessem a uma rhinokopia (corte ou amputação nasal) para tirar-lhe os títulos imperiais. Assim, o imperador facilitou a chegada ao trono de seu filho, já que os bizantinos acreditavam que somente podiam ser declarados imperadores homens "sem imperfeições físicas".



Com a morte de Constantino IV, em 685, Justiniano II se tornou imperador. Mas, dez anos depois, ele sofreu um golpe e foi deposto e exilado. Seus auxiliares foram mortos, porém Justiniano foi poupado. Ao invés de ser executado, ele teve o nariz cortado para que não pudesse voltar a assumir o trono.



Em 705, Justiniano II reconquistou o poder. Para contornar o problema de seu nariz mutiliado, passou a usar uma prótese de ouro. Ele se tornou o único homem desfigurado a governar o Império Romano do Oriente. No entanto, sua dura brutalidade teve represálias, e no ano de 711, ele voltou a cair nas mãos de uma conspiração contra seu poder. Seu reinado terminou com um golpe de Estado e seu corpo acabou sendo degolado e exibido pelas ruas de Roma e Ravena. 


Fonte: La Nación

Imagens: Astromentum, CC BY-SA 4.0 , via Wikimedia Commons e De casibus virorum illustrium/Domínio Público