SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

O médico espião que salvou milhares de pessoas das garras do nazismo

Durante a Segunda Guerra Mundial, um médico conseguiu salvar uma multidão das garras do nazismo. O doutor Eduardo Martínez Alonso foi um agente do MI6 (serviço secreto britânico) que atuava sob o amparo da neutralidade espanhola. Do salão de chá “Embassy”, em Madri, ele coordenou operações de resgates clandestinas para ajudar aos milhares de perseguidos por Adolf Hitler, incluindo judeus, poloneses, checos e apátridas que cruzavam o território espanhol rumo a Portugal e Gibraltar. 

Sendo médico da embaixada do Reino Unido, “Lalo” – apelidado assim por sua família – ele entrava em um campo de concentração em Miranda de Ebro, onde reunia os presos sem documentos e os levava a Madri com o pretexto de que eles precisavam de internação hospitalar. Uma vez ali, os alojava em diferentes casas, para depois trasladá-los até a fazenda de sua família, em Pontevedra. 

Em 1942, a Gestapo começou a suspeitar de sua atividade clandestina, e ele fugiu ao Reino Unido. De lá, continuou a sua luta, junto ao Ministério de Guerra britânico, enviando insumos médicos a seu país natal. Em 1947, “Lalo” foi condecorado com a Medalha de George (do rei britânico George VI), e, em 1958, foi nomeado membro dos Cavaleiros da Cruz de Ouro do Mérito pelo governo polonês. 

Atualmente, tanto a cidade de Madri como a de Vigo – local do seu nascimento – tentam nomear algumas ruas como “Martínez Alonso”, enquanto a Federação de Comunidades Judaicas da Espanha o nomeou “benfeitor dos judeus que se salvaram durante o Holocausto”. Lalo retornou a Madri após a guerra, onde continuou trabalhando para a Cruz Vermelha até sua morte em 1972.

Segundo sua filha, Patricia Martínez, seu pai e seus colaboradores teriam salvado mais de 30 mil vidas. A Fundação Wallenberg decidiu homenagear esse salvador humanitário com a emissão de um selo postal comemorativo que será tramitado ante a Autoridade Filatelista do Estado de Israel. 


Fonte: Infobae

Imagens: Wikimedia Commons e Arquivo Pessoal