MARTE

Os 5 perigos mais mortíferos de uma viagem a Marte

Segundo Elon Musk, diretor da SapceX, é provável que milhares de pessoas morram durante a colonização do Planeta Vermelho
Por: HISTORY Brasil

Um dos maiores sonhos de Elon Musk, fundador da companhia SpaceX, é levar humanos para Marte. Mas o bilionário adverte que, por mais precauções que se tomem na hora de programar viagens espaciais ao Planeta Vermelho, muitas vidas poderão ser perdidas em sua exploração e colonização.

Maiores perigos de uma viagem a Marte

Confira abaixo alguns dos maiores riscos para os viajantes durante o lançamento, viagem, aterrissagem e volta à Terra.



Envenenamento por radiação

O Sol e suas erupções são o principal perigo para os viajantes. O trajeto colocará os astronautas frente a níveis de radiação consideráveis, mas uma erupção solar exporia ao máximo os tripulantes, já que as partículas radiativas os aniquilariam. A NASA e outras agências se encontram desenvolvendo programas para detectar a presença de erupções solares. 



Asfixia ou congelamento por uma grande tempestade de areia

As tempestades de areia em Marte têm rajadas de até 100 km/h, que poderiam durar vários meses, e as partículas de pó suspensas gerariam uma neblina escura. Se isso acontecesse, as naves ficariam sem eletricidade, já que os painéis solares deixariam de produzir energia. Ao não possuir as ferramentas disponíveis, os astronautas morreriam de frio ou asfixiados.

Infecção ou sangramento durante uma intervenção cirúrgica

A microgravidade faz com que as operações se tornem tarefas de risco, já que o sangue poderia voar por todas as partes e as infecções estariam flutuando no ar. Na verdade, não é possível realizar cirurgias a não ser por laparoscopia (procedimento utilizado para observar o interior do abdômen e da pélvis por um tubo fino e uma câmera de vídeo).

Morte por infecção em um dente

Os especialistas afirmam que os antibióticos podem perder eficácia no espaço, por isso a possibilidade de combater uma infecção oral dessa natureza é reduzida a zero com os medicamentos convencionais. Dessa forma, um simples problema dentário pode ser fatal.

Retorno problemático à Terra

Durante o retorno, existiriam os mesmos riscos da ida: asfixia, desintegração, queimaduras, sangramento e infecções. E um outro problema ainda seria a alimentação, que estaria pensada para suprir 3 ou 4 meses de subsistência, até que os planetas se alinhassem novamente para que a volta acontecesses.

VER MAIS:


Fontes: El ConfidencialCNN e Space.com

Imagens: iStock.com, NASA, SpaceX e Wikimedia Commons