MEDICINA

Pacientes com paralisia controlam computador por pensamento após implante cerebral

Por: HISTORY Brasil

Um implante cerebral apresentou resultados promissores em pessoas que sofrem de paralisia grave nos membros superiores, segundo pesquisadores da Universidade de Melbourne, na Austrália. Com o uso do dispositivo, dois pacientes conseguiram controlar computadores por meio do pensamento. Eles foram capazes de executar tarefas como escrever e-mails e fazer compras online, de acordo com um estudo publicado na revista NeuroInterventional Surgery.

Os pacientes testados sofrem de paralisia grave devido à esclerose lateral amiotrófica (ELA). Nenhum deles tinha capacidade completa de mover seus membros superiores, mas o implante cerebral foi capaz de restaurar a transmissão de impulsos cerebrais para fora do corpo. Isso permitiu que os pacientes enviassem comandos para um computador.



O professor Peter Mitchell do Royal Melbourne Hospital, diretor do serviço de neurointervenção e autor principal do estudo, disse que os resultados são promissores e demonstram que o dispositivo pode ser implantado com segurança. Mitchell implantou o dispositivo nos participantes do estudo através de seus vasos sanguíneos, próximo ao córtex motor do cérebro, em um procedimento que envolve uma pequena incisão no pescoço. 

Os dois pacientes usaram o implante para controlar o sistema operacional do computador em combinação com um rastreador ocular usado para mover um cursor. Isso significa que não é necessário o uso de mouse ou teclado. Após um treinamento com a ajuda de machine learning, os primeiros dois pacientes alcançaram uma precisão média de cliques de 92% e 93%, respectivamente, e velocidades de digitação de 14 e 20 caracteres por minuto. 

“Nos últimos oito anos, reunimos alguns dos principais especialistas em medicina e em engenharia do mundo para criar um implante que permitisse que pessoas com paralisia controlassem equipamentos externos com o poder do pensamento. Temos o prazer de informar que fomos bem-sucedidos", afirmou o professor Nicholas Opie, coautor da pesquisa. “Observar os participantes usando o sistema para se comunicar e controlar um computador com suas mentes, de forma independente e em suas casas, foi realmente incrível”, completou. 



Agora, novos testes devem ser feitos para comprovar a viabilidade do implante. Os pesquisadores alertam que ainda demorará alguns anos para que o equipamento seja usado de forma generalizada. 


Fontes: IFLScience e Universidade de Melbourne

Imagem: Shutterstock.com