semana santa

Quem escreveu as profecias contidas na bíblia, e por quê?

Por: HISTORY Brasil

Escrita por, aproximadamente, 40 autores, como é aceito pela maioria dos Cristão, a Bíblia é marcada por passagens de profetas, tanto no Antigo como no Novo Testamento. Conhecer e estudar os autores deste livro é um enorme desafio dadas as dificuldades em relação à comprovação dos fatos e também por conta das variações sofridas com traduções e interpretações ao longo do tempo. Neste sentido, selecionamos para você um pouco da história do grupo dos “Profetas Maiores” da Bíblia, presentes no Antigo Testamento. Eles forneceram importantes relatos sobre a época em que viveram e também ajudam a entender como era a questão da fé na época no que dizia respeito à chegada de um messias.



 

Imagem: Trounce (Own work) [GFDL or CC BY 3.0], via Wikimedia Commons

Isaías

Estima-se que o profeta Isaías tenha vivido entre 765 a.C e 681 a.C., no Reino de Judá, durante os reinados de Uzias, Jotão (ou Jotam), Acaz e Ezequias. O profeta também seira contemporâneo à destruição de Samaria pela Assíria e à resistência de Jerusalém às tropas do rei Senaqueribe em 701 a.C.



Ao longo dos 60 capítulos do seu livro na Bíblia, ele teria recebido o chamado de Deus para se tornar um profeta por meio de uma visão no templo. Ele foi o profeta que mais escreveu sobre a vinda do messias e até sobre sua morte: "Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados". (Is 53:5). Atualmente, estudiosos da Bíblia afirmam que o livro de Isaías, na realidade, teria sido escrito por mais de um profeta, pois nota-se uma forte descontinuidade histórica de fatos relatados entre o Primeiro e o Segundo Isaías.

Jeremias

Jeremias, também chamado de “profeta chorão”, é considerado autor de dois livros da Bíblia: o Livro de Jeremias e o Livro das Lamentações. Pertencente ao mundo camponês, em seus relatos, ele mostrou a visão dos camponeses e fez críticas sobre a situação do Reino de Judá. Acredita-se que tenha vivido entre 655 a.C (nasceu em Israel) e 586 a.C (morreu no Egito). Jeremias teria sido convocado por Deus para sua atividade profética quando era jovem e, por isso, teria demonstrado receio ao assumir tal tarefa. O profeta não teve filhos, atendendo a um pedido divino. O fato é atribuído para ilustrar a mensagem de que haveria o extermínio da próxima geração de Jerusalém.

O profeta também viveu a época em que a população do Reino de Judá foi levada ao Cativeiro Babilônico. Há controvérsias de que Jeremias realmente tenha escrito também o Livro das Lamentações por conta da grande mudança de estilo - este último contém poemas eruditos, contrariando o estilo espontâneo do Livro de Jeremias.

Daniel

Um dos mais importantes profetas do Antigo Testamento e venerado por várias religiões, Daniel, de acordo com o Bíblia, foi o escolhido para profetizar sobre o “reino que não será jamais destruído" (Daniel 2:44). Acredita-se que viveu durante 75 anos, entre os séculos VII a.C e VI a.C. Ao longo de sua vida, presenciou importantes fatos como a queda da Assíria e ascensão e queda da Babilônia.

Nesta última, ganhou poder por conta de sua conduta e sabedoria (Ezequiel 14:14, 20; 28:3). Desta maneira, ocupou importantes cargos ao longo dos 70 anos de domínio da nação. Apesar de ter sido levado ao cativeiro babilônico (deportação dos judeus do antigo Reino de Judá), nunca se converteu aos costumes neo-babilônicos.

Por conta de seus poderes como profeta, ele interpretou os sonhos e visões de reis, conquistando prestígio na corte de Babilônia. Também era acometido por visões apocalípticas. Alguns dos contos mais famosos de Daniel são Sadraque, Mesaque e Abednego, A escrita na parede e Daniel na cova dos leões.

Samuel

O profeta Samuel exerceu um papel fundamental na história do povo de Israel. Ele teria vivido em torno do ano 1095 a.C, foi o último dos juízes de seu povo e é considerado o primeiro profeta. Samuel teria feito a transição para o período monárquico de Israel, consagrando seus dois primeiros reis, Saul e David. Não há muitas evidências sobre a existência de Samuel, tirando textos judaicos e a Bíblia. Desta maneira, sua própria existência é questionada por pesquisadores. Samuel também não estaria vivo na época em que a parte final do livro foi escrita.

O que se conta nos relatos bíblicos é que ele teria sido entregue a sacerdotes pela sua mãe, Ana, assim que foi desmamado. Ela não conseguia ter filhos e implorou a Deus que a ajudasse, já que ser estéril era uma grande vergonha para uma mulher na época. Ela prometeu que, caso sua súplica fosse atendida, a criança seria entregue ao templo para servir a Deus.