ESTADOS UNIDOS

A sangrenta história do único golpe político bem-sucedido dos Estados Unidos

Por: HISTORY Brasil

O único golpe político bem-sucedido dos Estados Unidos aconteceu em 1898. O fato aconteceu em Wilmington, na Carolina do Norte, e foi motivado por racismo. O movimento acabou em um massacre que vitimou entre 60 e 250 cidadãos negros.

No fim do século XIX, Wilmington era considerada uma das cidades mais progressistas do sul dos EUA. Em 1896, quase 126 mil homens negros estavam registrados como eleitores na cidade, uma raridade em uma região onde as tensões raciais imperavam, décadas após a Guerra da Secessão. A classe média afro-americana da cidade contava com cerca de 65 médicos, advogados, professores, barbeiros, donos de restaurantes, funcionários da saúde pública, policiais e bombeiros. E apenas três décadas após a abolição da escravatura, os republicanos negros ocupavam vários cargos públicos, atuando como vereadores, magistrados e outras posições.



Mas a situação não agradava a todos. Temendo a perda de poder, os democratas brancos de Wilmington planejavam retomar o controle da cidade, privando os cidadãos negros de seus direitos. “Este é um país dos homens brancos e os homens brancos devem controlá-lo e governá-lo”, dizia um manual do partido na época. 

Antes das eleições de novembro de 1898, jornais da cidade foram usados em uma intensa campanha contra os negros. Durante a campanha, a polícia invadiu as casas dos negros, chicoteando os moradores e ameaçando-os de morte caso tentassem votar. No dia da eleição, turbas brancas armadas se reuniram do lado de fora das seções eleitorais de Wilmington, ameaçando eleitores negros. Resultado: os democratas conquistaram todos os cargos aos quais concorreram.



No dia seguinte à eleição fraudada foi proclamada a “A Declaração Branca da Independência”, que declarava: “Nunca mais seremos governados por homens de origem africana”. O documento retirava dos cidadãos negros de Wilmington o direito de votar e exigia que os empregos na cidade ocupados por afro-americanos fossem dados a eleitores brancos. Uma multidão então marchou para a Prefeitura, onde forçou o prefeito republicano eleito e os vereadores da cidade a renunciar. Com o golpe, o democrata Alfred Moore Waddell assumiu a prefeitura.

Após o golpe, uma multidão de quase dois mil homens aterrorizou a cidade, apoiada pela recém-criada força policial racista e pela milícia estadual. Armados com pistolas e uma metralhadora capaz de disparar 420 balas por minuto, eles mataram ao menos 60 cidadãos negros, embora muitos historiadores digam que o número pode ter alcançado a marca das centenas.

Depois do massacre, mais de 100 mil eleitores negros fugiram da cidade, dizimando o poder político e econômico dessa comunidade em Wilmington por quase um século. Nenhum cidadão afro-americano voltou a ocupar um cargo público no local até 1972.


Fonte: History.com

Imagens: Arquivo Público da Carolina do Norte, via Wikimedia Commons