antropología

Sepultura humana mais antiga encontrada na África é de criança enterrada há 78 mil anos

“Só os humanos tratam os mortos com esse respeito, esse cuidado, essa ternura”, disse a paleoantropóloga Maria Martinón-Torres
Por: HISTORY Brasil

Em uma caverna no Quênia, arqueólogos encontraram a sepultura humana mais antiga já identificada na África. Trata-se da cova de uma criança enterrada há cerca de 78 mil anos. O estudo, conduzido por uma equipe internacional de pesquisadores, foi publicado na revista Science.

Descoberta da sepultura mais antiga

Na caverna Panga ya Saidi, foram encontrados os restos mortais de uma criança que morreu aos três anos de idade. Os cientistas deram a ela o nome de "Mtoto", que significa "criança" no idioma Swahili. O corpo estava encolhido de lado, como se estivesse dormindo ou se aquecendo. Além disso, sua cabeça parece ter sido delicadamente colocada sobre uma superfície macia, como uma espécie de travesseiro.



“Só os humanos tratam os mortos com esse respeito, esse cuidado, essa ternura”, disse a paleoantropóloga Maria Martinón-Torres, que liderou a equipe que descobriu o antigo túmulo. "Esta é uma das primeiras evidências que temos na África a respeito de humanos vivendo no mundo físico e também no simbólico", completou.

A descoberta ajuda a entender como os povos da Idade da Pedra Média interagiam com os mortos. A sepultura da criança está entre as mais antigas já descobertas no mundo. Anteriormente, pesquisadores haviam identificado túmulos humanos de 90 mil anos em uma caverna em Israel.   



VER MAIS:


Fontes: Live ScienceScience News e Phys.org

Imagens: Jorge González/Elena Santos/Fernando Fueyo/Instituto Max Planck/Reprodução